quinta-feira, 9 de junho de 2016

Sabiá-ferreiro (macho) Turdus subalaris (Seebohm, 1887) -Eastern Slaty Thrush-

"Esta simpática sabia nos visita praticamente todos os verões, pois é migratória, exclusivamente em 2015 não percebi nenhum canto delas por aqui, Canguçu RS, não quer dizer que não tenham aparecido, já que são muito discretas. Este ano 2016 cantaram muito, acabei finalmente registrando-os.
OBS:   Para quem não conhece, esta é a sabia que quando canta parece alguém balançando correntes, sinos, sons de ferro, triiimmm trimmm, triiimmm..
Veja aqui um pequeno resumo sobre esta ave pesquisado no site  wikiaves.com.br"
Mede entre 19 e 21,5 centímetros de comprimento e pesa entre 44 e 55 gramas.
Apresenta dimorfismo sexual.
O macho adulto da espécie apresenta a cabeça de coloração cinza escura com as laterais do pescoço na coloração cinza claro. Lores escuros e anel periocular amarelo. O dorso, asas, uropígio e cauda são de coloração cinza escuro com leve tom oliváceo. A parte inferior do dorso é cinza ligeiramente mais leve que o do que a parte superior do dorso. A cauda cinza apresenta ligeiro reflexo amarronzado. A garganta e o queixo são brancos com listras pretas abundantes. O peito e o ventre são cinza e cinza pálido respectivamente, tornando-se branco no centro do abdômen e na região do crisso.
O bico, pernas e pés são amarelos.
A fêmea apresenta a coloração geral cinza pardacenta, tornando-se mais escuro ou cinza oliváceo nas coberteiras da asa e no dorso. A cauda é cinza olivácea. A parte inferior é mais clara que as partes superiores, apresentando coloração cinza claro amarronzada. O centro da barriga é cinza esbranquiçada. O anel periocular da fêmea é amarelo, porém é muito fino e pálido. O queixo e garganta são bege esbranquiçados com estrias escuras muito finas. A lateral do queixo é delimitada por uma estria malar cinza acastanhada. O bico é cinza esverdeado escuro (chifre) com a base amarelada da mandíbula inferior. As pernas possuem coloração variando do cinza ardósia ao marrom amarelado.
Os imaturos da espécie apresentam aparência semelhante a das fêmeas, embora um pouco mais escuro na cabeça e partes superiores. As penas do manto, coberteiras e rêmiges podem apresentar as terminações bege ou laranja. As partes inferiores têm uma coloração acinzentada predominante e suas penas apresentam terminações marrons, causando padrões sob a forma de escamas. O centro da barriga é branco com bordas e padrões mais discretos. O bico, pernas e pés são marrom escuro.
Vocalização: chamado tsêk; canto de timbre metálico; grito metálico alto e frequentemente repetido, que soa variadamente com uma martelada na bigorna, um guinchado de dobradiça velha ou como um sino não ressoante.
Obs: Esta espécie distingue-se do seu congênere Turdus amaurochalinus (sabiá-poca) principalmente por possuir a coloração cinza com menos marrom oliváceo, anel periocular amarelo, bico amarelo, tarsos e pés amarelos.
LOCAL DO REGISTRO:    Arroio do Moinho 1º, Canguçu RS
ESTADO DE CONSERVAÇÃO:      Pouco preocupante

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Como fazer mudas de cássia-imperial (Cassia fistula, L.) (chuva de ouro) através de sementes

  Em uma de minhas idas a Pelotas RS, aqui pertinho me deparei com esta magnifica árvore,(imagem  wikipédia) muito linda,  carregada em f...