Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Quero-quero -- Vanellus chilensis (Molina, 1782)

clique na imagem para ampliar                                                                                                                                                                      Resumo: Costuma viver em banhados e pastagens; é visto em estradas, campos de futebol e próximo a fazendas, frequentemente longe d'água. O quero-quero é sempre o primeiro a dar o alarme  quando algum intruso invade seus domí­nios. É uma ave briguenta que provoca rixa com qualquer outra espécie habitante      da mesma campina. As capivaras tiram bom proveito da convivência com o quero-quero, pois, conforme a entonação, o grito dessa ave pode significar perigo. Então os grandes roedores procuram refúgio na água. Essa característica faz do quero-quero um excelente cão de guarda, sendo utilizado por algumas empresas que possuem seu parque fabril populado por estas aves . Na primavera, a fêmea põe normalmente de três a quatro ovos. Nidificam em uma cavidade esgravatada no solo; o

Caturrita -- Myiopsitta monachus (Boddaert, 1783)

   Nikon coolpix p 510  RESUMO:   A  caturrita (Myiopsitta monanchus), também é conhecida como catorra ou cocota, é uma ave da família Psittacidae. A caturrita é nativa das regões subtropical  e temperada da América do Sul. São encontradas no Pantanal (população bastante numerosa) nos pampas à leste dos andes da Bolívia, Paraguai, Uruguaí e sul do Brasil até a região da Patagônia na Argentina. A caturrita também é conhecida no Brasil por catorra, cocota, periquito barroso, papo branco, e outros nomes, dependendo da região. Quem não conhece a caturrita,ave muito barulhenta,vivem em bandos no qual fazem seus ninhos sempre em grandes árvores, escolhem um galho bem alto e isolado,e ali começam o emaranhado de gravetos no qual elas cortam um por um,em outras árvores,muitas vezes distantes. Em alguns casos aonde a colonia é muito grande plantações de milho próximas ao ninho são literalmente dizimadas!  Adoram construir seus ninhos em grandes eucaliptos, e também araucária.

Canário da terra verdadeiro (macho)--sicalis flaveola (Linnaeus, 1766)

RESUMO:  O canário da terra de nome científico Sicalis flaveola brasiliensis, também é conhecido como canário-da-terra-verdadeiro, canário-da-horta, canário-da-telha, (Santa Catarina), canário-do-campo, Chapinha (Minas Gerais), canário-do-chão,(Bahia), coroinha, canário-da-terra e cabeça-de-fogo, é uma ave admirada por seu canto forte e estalado e por isso é frequentemente aprisionada como ave de cativeiro, (está entre as dez mais apreendidas segundo o Ibama) mesmo tal ato sendo considerado crime federal  inafiançável pela lei de crimes ambientais (Lei 9.605/98). Graças a ação das autoridades e a conscientização da população, registros de canário-da-terra vem se tornando mais frequentes nos últimos anos. ' 'EXISTEM CINCO SUBESPÉCIES RECONHECIDAS, SENDO DUAS BRASILEIRAS'' Bando de canários jovens, é possível observar a mudança na plumagem Os Canários vivem em campos secos, áreas de agricultura, caatinga, bordas de matas, áreas de cerrado, campos na

Asa de telha -- Agelaioides badius (Vieillot, 1819)

NIKON COOLPIX P 510 42 X Mede 15 cm, é frutifero. Ave bem conhecida nossa, sempre em bandos, normalmente são visíveis em torno de sítios ,em laranjeiras caponetes.. Tem um canto bem agradável, macio tem normalmente 1 ninhada por estação com 2 ovos. Ao contrario de outros do mesmo gênero Agelaioides badius  não é um parasita pleno, na verdade também é vitima de outras aves parasitas, principalmente do Molothrus rufoaxillaris.   Sempre constrói seu próprio ninho, ou seja a camara de incubação em forma de uma pequena “tigela” de barro trançada com fibras vegetais, onde deposita os ovos, que são de cor branca, embora esta camara seja construída no interior dos ninhos de furnarideos. Este “ninho parasitismo” tem sido interpretado como uma fase primitiva de parasitismo. BANDO DE ASA-DE-TELHA No Brasil ocorre do nordeste à Minas Gerais, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. Ocorre também na Bolívia, Paraguai, Argentina, Uruguai e até o Chile.  Fonte: www.wikiaves.com.br LOCAL D

Cardeal -- Paroaria coronata (Miller, 1776)

   Nikon coolpix p 510    Distância focal: 288.0 mm  (equivalente a 35 mm :1 600 mm )    1/500 s    f/ 5.9    iso: 500     Foto  tirada na localidade do Alto do vime 1º distrito de Canguçu, na casa de minha cunhada! Ali provavelmente estavam chocando pois eu os observei várias vezes, em busca de alimento. Ave muito territorialista enquanto esta na fase de reprodução! Andam de bando, e também casais. Aqui do ladinho da cidade, também observei um casal,que estavam chocando. LOCAL DAS FOTOS:          Alto do vime  1º distrito  Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:       Pouco preocupante

Pomba de bando -- Zenaida auriculata (Des Murs, 1847) (arribaçã, amargozinha, avoante...

                                                                            RESUMO:     Como o próprio nome diz, costuma ser uma ave gregária , podendo formar bandos de milhares de indivíduos durante migrações  ou em pousos coletivos em locais onde dormem. Também é conhecida pelos nomes de arribaçã, arribação,avoante, bairari, cardigueira, cardinheira, guaçuroba-pequena, juriti-carregadeira, pairari, pararé, parari, pomba-amargosinha, pomba-de-arribação, pomba-de-bando, pomba-do-meio, pomba-do-sertão, pomba-parari, pomba-pararu, rabaçã, rabação, rebaçã, ribaçã , ribação, rolinha, amargozinha e avoante. Esta pombinha  é uma ave muto  conhecida nossa, pois aqui em Canguçu RS  frequenta tanto o campo, como também a zona urbana, e  não é nem um pouco tímida. Pomba praticamente do limpo, caponetes, não frequenta mata fechada. Também  pode formar bando de milhares de indivíduos, e a sua população vem aumentando razoavelmente em decorrência do desmatamento, já que é uma  

Vira-bosta --(chupim) *** Molothrus bonariensis (Gmelin, 1789)

Clique nas imagens para visualizar em  tamanho grande                                                                         Resumo: O  chupim  ( Molothrus bonariensis ) é uma  ave   passeriforme da família icteridae  . Os machos de tais animais possuem uma coloração aparentemente preta, mas quando expostos ao sol, brilham em um tom azul-violeta, enquanto as fêmeas são mais pardacentas e menos reluzentes. Seu vôo é digno e seu canto é lindo. Conseguem se comunicar com sua família e retribuir carinho através de gritos. Também são conhecidos pelos nomes de anu, anum, arumará, azulão, azulego, boiadeiro, brió, carixo, catre, chopim-gaudério, corixo, curixo, corrixo, corvo, engana-tico, engana-tico-tico, gaudério, godério, godero, gorrixo, grumará, iraúna, maria-preta, negrinho, papa-arroz, parasita, parasito, pássaro-preto, uiraúna, vaqueiro, vira, vira-bosta e vira-vira. O chupim é conhecido pelo habito de colocar seus ovos no ninho de outras aves, para que as mesmas possa

Pavó -- Pyroderus scutatus (Shaw, 1792)

            RESUMO:                O pavó, ou pavão do mato, é um Passeriforme da família Cotingidae. Conhecido também como pavão -do-mato, pavô, jacu-touro, e jacupiranga. O macho mede cerca de 46 centímetros de comprimento e a fêmea 39 centímetros. O macho tem o bico de cor azul céu muito claro, quase branco. A fêmea tem o bico mais escuro, cinza roxeado. Durante o período reprodutivo reúne-se em grupos de até 10 indivíduos, havendo exibição do papo e vocalizações. Faz ninho  em formato de uma pequena e frágil plataforma de gravetos. Põe 2 ovos amarelados com manchas marrom-avermelhadas . É uma espécie rara.  Habita o interior e as bordas de florestas altas, especialmente em regiões montanhosas. Vive solitário. Seu canto é bastante grave , lembrando o som produzido quando sopra-se uma garrafa de vidro pelo gargalo ( soa como “vu-vuu” ). Fonte: www.wikiaves.com.br Esta foto foi tirada de surpresa, pois num domingo pela manhã saí para capturar alguma foto de jacu em um

Suiriri cavaleiro -- Machetornis rixosa (Vieillot, 1819)

     Esta ave é muito comum ver sombre os lombos de animais,cavalos,bois,capivaras, enfim, elas fazem um belo serviço  a eles  ajudando ao  combate de  seus parasitas . Pássaro de locais abertos, passa a maior parte do tempo no solo! LOCAL DA FOTO :     Arroio do Moinho Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:         Pouco preocupante

Besourinho-de-bico- vermelho (macho) -- Chlorostilbon lucidus (Shaw, 1812)

RESUMO: O besourinho-de-bico-vermelho é uma ave apodidae da família Trochilidae.  Também conhecido como beija-flor-besourinho-de-bico-vermelho (Pernambuco), beija-flor-de-bico-vermelho, esmeralda-de-bico-vermelho.Ave muito brilhosa de um verde muito lindo,tem o bico vermelho com a ponta preta. Esse beija-flor tem 8,5 centímetros e pesa 3,5 gramas. Como seu nome já diz, seu bicoe vermelho com a ponta negra.  Sua plumagem verde-brilhante abrange as partes dorsal e ventral, apresentando um brilho dourado mais intenso na fronte e mais azulado na garganta. As penas da cauda são azuis. A fêmea distingue-se por uma linha curva branca atrás dos olhos e pela ponta da cauda esbranquiçada.  Fonte: www.wikiaves.com.br Fêmea Este foi meu  primeiro registro da espécie, e foi feita em Cambará-do-Sul,  no Parque Nacional Aparatos da Serra.  Por incrível que pareça, mais ainda não consegui registrar um besourinho-de-bico-vermelho macho por aqui.  ''A fêmea sim, esta aqui do

Tangará -- Chiroxiphia caudata (Shaw & Nodder, 1793)

Resumo: Este pequeno pássaro é dono de uma dança incrível ,e eu já tive a oportunidade de ver.  Eles dançam pra impressionar a fêmea ,na qual  fica só olhando.  Dançam em grupos de vários indivíduos todos machos,  escolhem um galho e todos se posicionam um coladinho no outro, aí então o da ponta voa um circulo e se senta no outro lado, enquanto ele pousa do outro lado da fila o próximo voa o mesmo circulo sobre o bando que esta no galho todos vocalizando'' grrrrââ - grrrrrââ'' e assim segue até todos darem uma demonstração, aí então acelera a dança e então do nada um deles da um gritrinho  ''kkkiiiii-kkkkkiiii-kkiiikkii'' e todos ficam imóveis na posição em que ficaram no galho, e se a fêmea não escolhe o macho começam tudo de novo!  É  muito bonito de ver, quando eu conseguir uma filmagem eu postarei! LOCAL DA FOTO:                       Arroio do Moinho  Canguçu  RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:     Pouco preocupante

Urubu da cabeça preta -- Coragyps atratus (Bechstein, 1793)

RESUMO: Estes camaradas  aí tem um papel muito importante na cadeia alimentar.    Sendo eles uns dos grandes responsáveis pela limpeza na natureza.    Se alimentam  basicamente  de carniça, mas não hesitariam em devorar algum filhote ou animal pequeno ou  doente! É o mais pequeno dos urubus. LOCAL  DAS  FOTOS:   Cambará-do-Sul  RS  Parque Nacional Aparatos da Serra Quando conseguir uma foto feita aqui em Canguçu postarei! ESTADO DE CONSERVAÇÃO:             Pouco preocupante

Pombão - Asa-Branca - Patagioenas picazuro (Temminck, 1813)

RESUMO: O pombão é uma ave Columbiforme fa Família Columbidae. Conhecido pelos nomes populares de: asa-branca, legítima-mineira, pombo (a) do ar, pomba-trocaz, pomba-carijó (RS) e pomba verdadeira. Quando em voo, a principal característica da espécie é a faixa branca na parte  superior das asas.  www.wikiaves.com.br Conhecida também como: pombão bagual, pombão carijó.. Voa grandes distâncias para procurar alimento. Ave migratória! Aqui em casa apos a colheita do milho aparecem em grande quantidade, pois ficam muitas sementes perdidas no solo, e elas agradecem!!   São aves muito ariscas dificilmente deixam aproximar-se, mas como aqui  tem muito alimento e ninguém caça elas estão bem a vontade.. LOCAL DAS FOTOS:   Arroio do Moinho Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:    Pouco preocupante

Sábia-do-campo---Mimus saturninus (Lichtenstein, 1823)

RESUMO:  O sabiá-do-campo é uma ave passeriforme da família Mimidae. Também conhecida como Tejo-do-campo, calhandra, arrebita-rabo, galo do campo, papa-sebo, sabiá-levanta-rabo, sabiá-conga,  ou sabiá-poca, sendo o último nome evitado pelos ornitólogos para não causar confusão com outro sabiá de mesmo nome (Thurdus amaurochalinos). O sabiá do campo (Mimus saturninus) é uma ave famosa por seu vasto repertório de cantos, que incluem imitações de outras espécies. www.wikiaves.com.br Esta figura aí foi uma das primeiras espécies que me levou a montar o blog, já que foi uma das aves que perdi o contato por aproximadamente 20 anos.  Quando criança tinha muitas delas aonde eu morava, faziam seus ninhos em laranjeiras, e muitas vezes não sei porque  apareciam filhotes caídos no  chão, normalmente bichados com larvas na cabeça ...Durante estes 20 ano morei em outros distritos, e também não observei esta ave... Hoje onde moro  não existe esta espécie cheguei a comentar com amigos, que

Sabiá poca -- Turdus amaurochalinus ( Cabanis, 1850)

RESUMO : É um dos sabiás mais conhecidos pelos brasileiros, seja por seu aspecto físico, seja por seu canto   triste. Nas diversas regiões possui os mais variados nomes comuns: bico-de-osso, sabiá-branco, sabiá-do-peito-branco, sabiá-bico-amarelo, sabiá-bico-de-osso e sabiá-bico-de-louça.  Alimentam-se   de invertebrados e pequenos frutos, principalmente no solo. Como outros sabiás, gostam de ciscar com o bico as folhas secas e escavar o chão. A cada movimento com o bico para a lateral, dão um salto para trás e ficam procurando presas, imóveis por alguns segundos. Se nada aparece, saltam para a frente, ciscam e retornam à posição original. Quando os frutos das figueiras estão caindo no chão, concentram-se sob a árvore e fartam-se. Em agosto inicia-se a reprodução. Nessa época, aparecem as aves com o bico amarelo vivo, uma característica ligada à reprodução. Aves juvenis ou adultos fora do período reprodutivo têm o bico escuro ou com diferentes proporções de amarelo. Nidifica e

Bico duro- (fêmea)- Saltator aurantiirostris Vieillot, 1817

clique nas imagens para ampliar                                                                          RESUMO: Possui uma plumagem cinza por cima com ampla sobrancelha branca atrás do olho, preto na testa e face, estendendo-se como uma faixinha no peito, que delimita a garganta branca; por baixo cinza-pardacento. Fêmea mais oliva por cima, faixa no peito estreita ou ausente; jovem parecido, com sobrancelha amarelada; ambos com menos laranja no bico. Único do gênero cuja sobrancelha não começa no loro, Mede 20 cm de comprimento.  O bico-duro é uma ave   Passeriforme  da família  Thraupidae. Canto de longo alcance, uma frase abrupta e variável, “tcho-tcho-tchuíu” ou “tchuíu-tchiuí”, com a ultima nota sempre enfatizada; em geral emitido a partir de um poleiro elevado.  Alimenta de frutos,sementes, e também  observei-o comendo bagas verdes, no qual  aqui estarei postando a foto. Nesta foto é possível vê-lo comendo bagas verdes de uma planta.                    

Beija-flor-de- papo branco -- Leucochloris albicollis (Vieillot, 1818)

RESUMO: O beija-flor-de-papo-branco é uma ave apodiforme da família Trochilidae.  Mede cerca de 10 centímetros. O papo-branco é um beija-flor robusta, fácil de identificar por ter  garganta e o peito brancos, separados por uma faixa verde. Fonte: www.wikiaves.com.br Meu Primeiro registro... CAMBARÁ   RS Meu primeiro registro desta ave não foi feito aqui em minha região, foi feita em Cambara do Sul em uma viagem que fiz aos cânions, no Parque nacional Aparatos da Serra. A foto é esta de baixo. Agora finalmente consegui registrá-lo aqui em Canguçu, bem na florada da laranjeira.Tinham vários deles, fronte-violeta, beija-flor-dourado, de topete, e o papo-branco. Foto acima:  Arroio do Moinho 1º Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:                        Pouco preocupante

Saíra preciosa--Tangara preciosa (Cabanis, 1850)

clique nas imagens para ampliar                                                                        RESUMO: A saíra-preciosa mede aproximadamente 15 cm de comprimento. Apresenta dimorfismo sexual   o macho possui cabeça, pescoço, crisso e dorso marrons, garganta, peito e barriga turquesa, rêmiges e rectrizes azul-claras; as fêmeas possuem coloração mais opaca. Em ambos, o bico   é preto e há uma faixa negra circundando os olhos. Os juvenis são pardos com cauda esverdeada. Vive no interior da mata e suas bordas , sendo comum em matas de araucária e mata atlântica. vive no dossel da floresta em associação com outras espécies de aves. A saíra-preciosa é um Passeriforme da família  Thraupidae Ocorre nos estados: Rio grande do sul, Santa Catarina, Paraná e sul de São Paulo. Também ocorre na Argentina, Paraguai e Uruguai.      Fonte:wikipédia& wikiaves. Foto ao topo saíra macho, note que a fêmea é menos colorida..! SAÍRA PRECIOSA FÊMEA ''Pássaro muito lindo,

Tesourinha-Tyrannus savana ( Vieillot, 1808)

RESUMO: A tesourinha é uma ave Passeriforme da Família Tyrannidae. Também conhecida como tesoura, tesoureira, e tesourinha do campo.    Esta ave é muito comum aqui em Canguçu RS no verão, já que é uma ave migratória que nos visita quando o tempo começa a aquecer, setembro, outubro..e em março já é possível observar a sua ausência. Adora sentar nas pontas de paus ramos,fios de arame, de onde localiza pequenos insetos no qual são apanhados  sempre em pleno voo. LOCAL DAS FOTOS:      Arroio do Moinho  Canguçu   RS                ESTADO  DE CONSERVAÇÃO:                      Pouco preocupante