Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2013

Ben-te-vi pirata ( legatus leucophaius/ Vieillot, 1818)

                                                                             Resumo : Mede cerca de 14,5 cm de comprimento. O menor dos “bem-te-vis rajados”, no período reprodutivo vocaliza praticamente o dia todo em locais expostos e torna-se notável. Em comparação com o peitica  ( Empidonomus varius ), o bico é menor e a cauda mais curta, conferindo um aspecto mais atarracado ao bem-te-vi-pirata. Sob excelentes condições, é possível observar que falta a esse o fio marrom avermelhado da parte superior das penas da cauda daquele. Entretanto, como sempre os vemos contra o céu, as características comportamentais são grandes auxiliares. O nome pirata vêm do hábito de tomarem ninhos construídos por outras espécies para reproduzirem . Aproveita ninhos de várias outras aves para se reproduzir, espantando os adultos e jogando para fora os ovos dos construtores do ninho. A maioria das colônias de japiim e de japus, por exemplo, têm pelo menos 1 ninho ocupado por bem-te-vis-pirata. Põe

Trinca-ferro-verdadeiro (saltador similis/ d'orbigny &lafresnare 1837)

                                                                               RESUMO: Mede 20 cm de comprimento. Pode ser encontrada nos seguintes países:  Argentina, Bolívia, Brasil e Paraguai.  No Brasil, está presente no  Mato Grosso, Goias e Bahia  em direção sul até o   Rio Grande do Sul,  incluindo toda a  Região Sudeste. Seus habitats naturais são: florestas subtropicais ou tropicais úmidas de baixa altitude e florestas secundárias altamente degradadas. É comum em capoeiras, bordas de florestas (inclusive de galeria) e clareiras, tanto em regiões de baixadas como em montanhas. Vive aos pares e canta com frequência, sendo fácil de observar, principalmente em árvores frutíferas. Põe ovos lustrosos azul-esverdeados com uma coroa estreita de rabiscos e pontos pretos. O macho trás comida para a fêmea no ninho. Conhecido também como esteves (Bahia), tico-tico-guloso, bico-de-ferro, pixarro e trinca-ferro-de-asa-verde. Em Santa Catarina (região sul) é conhecido também como

Tucano-de-bico-verde - ramphastus dicolorus- (linnaeus,1776)

                                                                               RESUMO:  Tem cerca de 48 centímetros, boa parte correspondem ao bico. Pesa 320 g a 400 g. Apresenta papo amarelo e bico verde. O serrilhado do bico é bem desenvolvido e realçados pela cor vermelha sanguínea. É o único  Ramphastos  a apresentar um ângulo acentuado na base da mandíbula inferior. O tucano-de-bico-verde é uma ave  Piciforme  da família  Rambhastidae wikiaves.com.br O  tucano-de-bico-verde  ( Ramphastos dicolorus ) é uma espécie de tucano   nativa do  Brasil , Bolívia, Argentina e Paraguai.  Tais aves medem cerca de 48 centímetros de comprimento, possuindo, como o próprio nome popular indica, bico de cor verde, garganta e peito amarelos e barriga vermelha. Também podem ser conhecidos pelo nome de tucano-de-peito-vermelho. O tucano-de-bico-verde é encontrado nas regiões Sul e Sudeste do   Brasil, bem como no sul do estado de Goias  (embora seja bem raro nessa região). É bastante comum

Marreca-pé-vermelho *** amazonetta brasiliense (gmelin,1789) ( picassinha, marreca-ananai...)

Clique nas imagens para ampliar                                                                        RESUMO: A marreca-pé-vermelho  ( Amazonetta brasiliensis ) é  uma espécie de marreca   encontrada em grande parte da América do sul.  Tais aves  chegam a medir até 40 cm de comprimento, com espelho alar variando entre negro, verde e azul-brilhante, duas manchas claras na face, garganta branca e pescoço posterior negro. Na espécie, machos diferenciam-se das fêmeas pela presença bicos e pés vermelhos, uma vez que nas fêmeas eles são azulados. Também são conhecidos pelos nomes de ananaí, marreca-ananaí, marreca-assobiadeira, marreca-assoviadeira, marreca-dos-pés-encarnados, marreca-espelho e pé-vermelho. wikpédia.           Pé-vermelho macho    Este casal de pé vermelho chocou a sua ninhada em um  açude aqui perto de minha casa, e assim foi possível observa-los com mais tranquilidade  na sua rotina.  Seguidamente eles vinham  se alimentar em  uma resteva de milho

Beija-flor-de-topete-estephanoxis lalandi (vieillot, 1816)

                                                                                       RESUMO: Mede cerca de 5 cm, de comprimento. O macho adulto apresenta um topete verde com penacho comprido mais escuro, ventre cinza claro com uma mancha grande azul. Aves do Sul do Estado de São Paulo e para o sul apresentam topetes azuis. Durante a côrte , o macho adejando ao redor da fêmea levanta o seu topete, executamusica instrumental com as asas (batendo 20 a 33 vezes por segundo) e emite fortes assobios, avançando e recuando no ar até que a fêmea o aceite para cópula . Grupos de 2-5 machos formam o ”leque expandido ” e cantam baixo nas bordas da mata próximo a riachos para atrair as fêmeas. O ninho  é em forma de pequena taça colocado em folhas terminais de varas de bambu ou em ramos de arbustos, a pouca altura, confeccionado de paina e revestido de musgos, hepáticas elíquens   fixados com fios de teias de aranha.                                                                    

Pintassilgo macho --Sporagra magellanica (Vieillot, 1805) ( pintassilgo-de-cabeça-preta...)

                                                                            RESUMO: Mede 11 centímetros de comprimento. Esta pequena avegranívora  é uma ave bastante conhecida, já que se trata de uma espécie  de relativamente fácil identificação. A sua máscara preta, presente apenas nos machos , bem como as manchas amarelas nas asas, fazem do pintassilgo uma ave bastante colorida e com um padrão facilmente reconhecível, mesmo em voo. As fêmeas  tem a cabeça e lado inferior oliváceos. Os jovens machos com poucos meses já apresentam pintas pretas na cabeça. Durante a primavera, pode ser observado cantando no alto de árvores, antenas, postes e telhados. No inverno agrega-se frequentemente em bandoas  de dimensões consideráveis, que podem juntar centenas de aves. Além de seu canto característico, pousado ou em vôo, imita o canto de outras aves. Tem um gorjear  fino bastante variado, em andamento rapidíssimo; estrofes longas intercalando imitações de outras aves. Canta também e

Sabiá-do-banhado--Embernagra platensis (Gmelin, 1789)

                                                                   RESUMO:    Mede 21,5 centímetros, grande espécie meridional, campestre, de cauda longa, larga e arredondado e de plumagem cheia e macia, bico alaranjado vivo e mueeira negra; lado superior verde-  oliva, acinzentados, lado da cabeça anegrados, asas de cor verde intensa. encontro amarelo, partes inferiores cinzentas, lados e crisso pardacentos, abdome esbranquiçado; o imaturo é de garganta e pescoço anterior amar elo-enxofre, peito com manchas negras, lembrando canário do campo (Emberizoides herbicola) . Vive solitário ou em pares nos pântanos com alguma vegetação alta, campos sujos e úmidos. Nos campos de altitude da Mantiqueira (Itatiaia RJ a 1800 m, e Caparaó MG) anda a passos largos sobre o solo, pousa nas pontas de arbustos, segurando-se às vezes em dois galhos de uma bifurcação, pousa sobre rochas, aciona a cauda para os lados e verticalmente, voa pesadamente com pernas penduradas.   Nidifica em árvores ou

Sábia laranjeira --Turdus rufiventris Vieillot, 1818

                                                                                      RESUMO: A Sabiá-laranjeira  [ Turdus rufiventris  (Vieillot, 1818)] é uma ave Passeriforme da família Turdidae, muito comum na América do Sul  e o mais conhecido de todos os sabiás , identificado pela cor de ferrugem do ventre e por seu canto melodioso durante o período reprodutivo.  É popular especialmente no Brasil , tendo se tornado por lei, em 2002, a ave-símbolo do país ,  Já era símbolo do estado de São Paulo   desde 1966.  É citada por diversos poetas como o pássaro que canta o amor e a primavera. Migrou da Europa para a América há cerca de 20 milhoes de anos atrás. É nativo da Argentina,   Bolívia, Paraguai, e Uruguai,   com uma ampla área de ocorrência que vai do nordeste do Brasil até o sul da Bolívia e norte-leste da Argentina. Não ocorre na Bacia do Amazonas. Este sabiá mede de 24 a 25 cm de comprimento, tem o bico reto de cor amarelo-oliva, as patas cinza, o

jacuaçu -- Penelope obscura Temminck, 1815 ( jacu...)

                                                                                Resumo: Parece vagamente um  pavão   - daí seu nome    castelhano  pava de monte   - pelo tamanho e pelo corpo e pescoço alongados - que facilitam o seu acesso aos frutos, já que permitem-lhe introduzir o corpo e/ou a cabeça entre a ramagem - mas distingue-se do pavão pela ausência de cauda longa, de plumagem brilhante, e de  dimorfismo sexual    acentuado. Possui barbelas pouco desenvolvidas, não tendo crista, e uma plumagem basicamente escura, entre o preto e o marrom. Tem olhos vermelhos. Distingue-se da sua parente próxima,  a jacupemba    ( Penelope superciliaris ), por ser maior e possuir patas de cor escura, puxando para o cinza (daí o seu nome científico,   obscura ) enquanto a jacupemba é menor (55 cm.) e possui patas avermelhadas. Mede aproximadamente 73 cm, alimenta-se de frutos, folhas e animais invertebrados. Apesar de seu porte, voa e se esgueira agilmente entre a densa vegetação

Pardal Fêmea -- Passer domesticus (Linnaeus, 1758)

RESUMO: O pardal(P asser domésticus)  tem sua origem no Oriente Médio, entretanto este pássaro começou a se dispersar pela Europa e Asia, chegando na América por volta de 1850. Sua chegada ao Brasil foi por volta de 1903(segundo registros históricos), quando o então prefeito do Rio de Janeiro, Pereira Passos, autorizou  a soltura deste pássaro exótico proveniente de Portugal. Hoje estas aves são encontradas em quase todos os Países do mundo, o que as caracteriza como uma espécie cosmopolita. Essa ave tem se expandido pelo espaço rural e, em alguns casos prejudicando a produtividade  agrícola.  www.wikiaves.com.br LOCAL DAS  FOTOS:   Alto, São LourençoRS... Baixo, Camaquã,RS. ''Por enquanto não consegui nem um registro bom por aqui, já que costumam encontrar-se embaixo de coberturas de postos de combustíveis, telhados de casas, principalmente na zona urbana.. A  foto acima foi feita na praia, (Lagoa dos Patos) em São Lourenço do Sul. Ali na beira da praia

Tico-tico -- Zonotrichia capensis (Statius Muller, 1776)

  RESUMO: O tico-tico é uma ave Passeriforme da família Passerellidae. Ave muito conhecida em todo o brasil e também  Países vizinhos. Alimenta-se de  pequenos insetos,sementes frutas,..também frequenta comedouros.  A reprodução tem início na primavera, e verão. Uma das aves que existe em maior número aqui em Canguçu! Alimenta-se de vários tipos de  sementes, também frutas e insetos. LOCAL DAS FOTOS:         Arroio do Moinho   Canguçu  RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:       Pouco preocupante

Noivinha -- Xolmis irupero (Vieillot, 1823)

NIKON COOLPIX P 510     RESUMO: A noivinha ( xolmis irupero) também conhecida popularmente por viuvinha-alegre, é uma ave passeriforme da família Tyrannidae. Mede cerca de 18 cm e é quase todo branco. Apenas as rêmiges primárias (apenas da ponta das asas),bem como a ponta das penas da cauda são negras; também são pretos o bico e as pernas. Fonte: www.wikiaves.com.br   Esta noivinha na parte de cima foi fotografada na localidade da Glória 1º Distrito, de Canguçu, sendo que pude   observar várias delas naquela localidade. Aqui em minha localidade não tive observado a pelo menos uns 6,7 anos, mas agora apareceu esta da foto↑. Eram um casal, mas assim como apareceram, também foram. Todas as observações que fiz desta ave todas foram feitas em campos,  onde há criação de gado.. LOCAL DAS FOTOS:    Glória  1ºdistrito, (acima), e Arroio do Moinho  ESTADO DE CONSERVAÇÃO:         Pouco preocupante

Chopin do brejo -- Pseudoleistes guirahuro (Vieillot, 1819)

RESUMO: O chopim-do-brejo ( Pseudoleistes guirahuro)é uma ave Passeriforme da família Icteridae . Também conhecida por pássaro-preto-do-brejo, dragão-do-brejo, melro-amarelo, melro-d'angola, melro-mineiro, melro-pintado-do-brejo, ou mesmo pássaro-preto-soldado. Se alimentam de grãos e sementes que são encontrados nos brejos. Quando o bando muda para outro local, costumam cantar em vôo. Vivem nos brejos, na várzea com capim alto, quase sempre em bandos. É frequente alguns indivíduos cantarem juntinhos, pousados a um palmo de distância um dos outros . Ave mais comum nas áreas mais alagadas, capinzais, taboais, áreas de mata mais aberta, caponetes..  Andam sempre em bandos, sempre chamam a atenção por ter um canto forte, normalmente quando cantam, todos do bando acompanham.  Em minhas observações estou constatando a permanência do bando em um local escolhido para dormir e fazer seus ninhos.  Estes lugares escolhidos por eles podem ser

Bem-te-vi- rajado -- Myiodynastes maculatus (Statius Muller, 1776)

RESUMO: O bem-te-vi-rajado é uma ave passeriforme  da família Tyranidae. Esta espécie pode ser confundida com o  bem-te-vi pirata,   ( Legatus leucophaius ) e com o peitica   ( Empidonomus varius ), mas é maior que os dois. É uma espécie geralmente solitária e quieta, cantando com mais intensidade ao entardecer ou nas primeiras horas do dia. Também conhecido por soluço. A maior das espécies rajadas da família, destaca-se pelo enorme bico e cabeça desproporcional ao corpo. É do tamanho do bem-te-vi. As listras superciliares brancas não se unem na nuca, como nas outras espécies de plumagem rajada.  REPRODUÇÃO: ALIMENTAÇÃO: Fonte: www.wikiaves.com.br '' Pássaro parecido com o Peitica e também com  o bem-te-vi- Pirata,  de longe, ambos tem uma faixa escura nos olhos. O canto desta ave é muito interessante pois é muito parecido com um soluço estendido,,ich,,ich..ich.. costuma cantar bastante quando clareia o dia no verão, também ao entardecer. No forte d