Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2013

Arapaçu-escamado-do-sul -- Lepidocolaptes falcinellus (Cabanis & Heine, 1859) (trepadeira)

Imagem
                                                                      RESUMO: Mede 19 cm de comprimento.  Também é conhecido pelo nome de trepadeira (sul do Brasil). Coloração marrom-ferrugíne o no dorso e asas, cabeça e ventre barrados de marrom com branco e garganta esbranquiçada. Ponta da cauda endurecida e envergada para dentro. Tem o alto da cabeça e nuca escuro a negro, com pintas branco sujo, que vão se transformando em listras até o alto das costas. As listras da cabeça e partes inferiores são de branco sujo a cor de couro. Alimenta-se de insetos, larvas, aracnídeos e pequenos anfíbios. Substitui o arapaçu-escamado  em matas de araucária, matas mesófilas e na Mata Atlântica até 2 000 m de altitude. Presente nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e bem ao sul de Minas Gerais, na Serra da Mantiqueir a.   Fonte: www.wikiaves.com Outra ave super difícil de se registrar,.. está sempre em movimento, procurando alimento em frestas

Garça-vaqueira -- Bubulcus ibis (Linnaeus, 1758 ) **PLUMAGEM NUPCIAL**

Imagem
                                                                        RESUMO: A  garça-vaqueira  ou  garça-boieira  ( Bubulcus ibis ) é uma garça  campestre,predominantemente insetívora   mas também pode comer vertebrados  como peixes e sapos.  Nativa do norte da África  e do sul da Europa  (mais especificamente na Península Ibérica   ), com primeiro registro na América , na fronteira da Guiana   com o Suriname  em 1877 ,tendo aparentemente cruzado o Atlântico e no Brasil   seu primeiro registro foi no ano de 1965 ,na Ilha   de Marajó. . Ela recebeu os nomes de garça-vaqueira e garça-boieira por ela ser predominante insetívora e frequentemente ficar perto de gado  em busca de parasitas   e de insetos. . Esta espécie tem uma grande área de ocupação, com uma extensão global estimada de ocorrência de 10 milhões de quilômetros quadrados. Sua população global é estimada em 3,8-6,7 milhões de indivíduos. Também é conhecida pelos nomes de  cunacoi  e  cupara  (no Brasil) e  carracei

Aracuã-escamoso *** Ortalis guttata (Spix, 1825)

Imagem
                                                                       Resumo: Esta ave foi uma das que deu mais trabalho,tanto para fotografar, como para identificar. Havia um bom tempo que eu estava as cata delas.  Só que quando eu ouvia o som delas, e ia em direção pra tentar alguma foto, eu só ouvia as árvores se mexendo e o bater das asas, e tchau! Por  ter  alguns pés de murta (produz pequenas frutinhas), em frente a minha casa,eu consegui esta foto. Elas começaram a se aprochegar,e todas as manhãs antes de clarear o dia elas me acordam , um canto muito bonito,e forte.. Descobri que elas só vocalizam quando estão com filhotes! Outra dificuldade eu tive foi  por conhece-las por jacutinga, e as jacutingas que eu pesquisei eram totalmente diferentes,muito coloridas,e algumas até com risco de extinção. Realmente nunca imaginava que as jacutingas que eu conhecia na realidade eram  aracuãs. Espero em breve melhorar o registro. LOCAL DA FOTO : Arroio do Moinho 1º distrito

Canário-da-terra-verdadeiro (fêmea) Sicalis flaveola (Linnaeus, 1766)

Imagem
Fêmea, fazendo ninho na casa do joão-de-barro.                                                                              RESUMO: Os Canários vivem em campos secos, áreas de agricultura, caatinga, bordas de matas, áreas de cerrado, campos naturais, pastagens abandonadas, plantações e jardins gramados. Quando não estão no período de acasalamento costumam ficar em bandos, podendo chegar até a grupos com dezenas de indivíduos. O tamanho aproximado do canário-da-terra adulto é de 13,5 cm, apresentando uma cor amarelo-olivácea com estrias enegrecidas nas costas e próximo das pernas.  As asas e a cauda são cinza-oliva, as pernas são rosadas e o bico tem a parte superior cor de chifre e a inferior é amarelada. As fêmeas e os filhotes tem a parte superior do corpo na cor olivácea, com as penas acinzentadas. Com aproximadamente 4 a 6 meses de idade, os filhotes machos começam a cantar e levam cerca de 18 meses para adquirir a plumagem amarela características dos machos adultos.

Tico-tico-da-taquara --Poospiza cabanisi Bonaparte, 1850

Imagem
clique nas imagens para ampliar                                                                        RESUMO: O tico-tico-da-taquara é uma ave Passeriforme da família Trhaupidae.  Pode ser confundido com o quete(Pospisa lateralis), mas trata-se de uma espécie diferenciada na plumagem, vocalização e distribuição geográfica. Apresenta colorido do peito e garganta da cor chifre pálido, padrão castanho no dorso, pequenas nódoas brancas nas duas retrizes externas da cauda. As fêmeas são menores que os machos. O canto é bastante complexo e a delimitação de frases é imprecisa, tratando-se de um gorgeio fluente e de cadência alternada com notas mais variadas. wikiaves.com.br "Espécie com certa abundância por aqui, visualizo-os seguidamente em minhas saídas a campo. Normalmente os vejo procurando alimento com outras espécies como por ex: o tico-tico, pula-pula-assobiador, pula-pula, entre outros. Já observei comendo quirera juntamente com pombinha rola e também tico-tico-r

Pitiguari -- Cyclarhis gujanensis (Gmelin, 1789)

Imagem
clique nas imagens para ampliar                                                                                                                                       RESUMO: Mede cerca de 16,5 centímetros, tem cabeça e bico desproporcionais ao corpo. O bico é todo acinzentado com leve tom róseo, de aspecto poderoso e terminando com uma ponta fina, virada para baixo, parece um bico de uma ave de rapina em um pássaro. As cores são únicas, com a cabeça e nuca acinzentadas, uma nítida e característica faixa marrom avermelhada sobre os olhos (laranja escuro nos adultos, marrom uniforme nos juvenis). Alto da cabeça oliváceo ou cinza escuro. No peito, uma larga faixa amarelada separa a barriga e garganta cinza claro, quase branco. Dorso pardo esverdeado. Macho e fêmea são idênticos.  Alimenta-se de invertebrados apanhados no meio da vegetação, onde é surpreendente como esconde-se bem. Vistoria as folhas cuidadosamente, às vezes penetrando nos emaranhados mais densos. Apanha lagar

Pica-pau-verde-barrado *** Colaptes melanochloros (Gmelin, 1788)

Imagem
clique nas imagens para ampliar                                                                               RESUMO: O pica-pau-verde-barrado é uma ave  piciforme   da família Picidae . De porte médio, é conhecido também como pica-pau-carijó (Rio de Janeiro). Mede 28 cm. O tom esverdeado da plumagem camufla ainda mais. Na cabeça, a característica divisão entre vermelho e preto, única entre os pica-paus, destaca a grande área branca da região dos olhos. De perto e sob boa luz, as bolas negras na plumagem do peito e barriga podem ser vistas. Os machos possuem pequeno bigode vermelho na base do bico.                                                  Possui quatro subespécies: Colaptes melanochloros melanochloros   (Gmelin, 1788) - ocorre do Sudeste do Brasil até o Sudeste do Paraguai, Nordeste da Argentina e no Uruguai; Colaptes melanochloros nattereri  (Malherbe, 1845) - ocorre do Nordeste do Brasil até a Bolívia na região de Santa Cruz; Colaptes melanochloros nigr

Coleirinho -- Sporophila caerulescens (Vieillot, 1823)

Imagem
                                                                              RESUMO:     O coleirinho é uma ave passeriforme   da família Thraupidae , cujo nome científico é Sporophila Caerulescens. Também conhecido como coleirinho, coleiro, coleirinha, papa-capim, papa-arroz ou coleiro tuí tuí. É a espécie mais popular do grupo dos papa-capim sendo também a mais abundante na maioria dos locais onde ocorre. Como todos os outros membros do gênero Sporophila, pode ser chamada de “papa-capim” acompanhada de algum outro adjetivo.  Sporo  é semente e,  phila  provem de  phyllo  que significa afinidade. seriam realmente os “que tem afinidade com sementes” ou “papa-capim” A denominação   caerulescens   significa azulado, possivelmente pela intensidade do negro de suas penas possuírem um tom azulado. Pássaro pequeno media de  11 a 12 cm, alimenta-se de pequenas sementes,ave muito comum nos arrozais.    Na foto ele estava comendo sementes de inço. O macho tem um colar preto n

Pula-pula-assoviador--Basileuterus leucoblepharus (Vieillot, 1817)

Imagem
                                                                            Resumo: Mede 14,5 centímetros e pesa entre 14 e 21 gramas. Possui píleo  cinzento, margeado de anegrado, anel ocular  e supra-loral  brancos, branco por baixo, flancos  cinzentos,coberteiras inferiores da cauda  amareladas, oliva por cima. O canto  , frequente, é uma sequência etérea de notas cristalinas que começam muito agudas e vão descendo, de qualidade líquida e quase mágica. Segundo Aubin em 2004, o Pula Pula Assobiador apresenta variações sutis discretas, na estrutura relativamente simples de seu canto, a diminuição da frequência média entre as notas consecutivas determina no reconhecimento específico a diferença entre um ou outro indivíduo. Habitante característico de  sub-bosques  das serras altas cobertas de mata, do sudeste e adjacências de clima úmido, ocorrendo até os 1600 metros na Serra da Mantiqueira      e do Mar, por exemplo, frequentemente também em taquarais . Espécie semiterrícola ,

Coruja-da-igreja--Tyto alba (Scopoli, 1769)

Imagem
                                                                                                                                                                Resumo:  A coruja da igreja ou Coruja-das-torres  Tyto furca ou Tyto alba  é uma espécie que pertence a família dos titonídeos, também conhecida pelos nomes de  coruja-da-igreja, coruja-branca, coruja-católica  e  rasga-mortalha . Habitam em diversos lugares do mundo, em geral, em todos os continentes exceto a Antártica, gostam de lugares abertos e de climas que variam de temperados aos tropicais. Também conhecida como coruja pele neutra pois ela a cada ano , troca as suas penas ficando colorida a cada ano. Mede cerca 20 a 36 cm de comprimento, com uma envergadura de cerca de 75-110 centímetros. A forma da cauda é uma maneira de distinguir a coruja-das-torres de verdade quando vista em voo, como os movimentos são oscilantes e o abrir das pernas balançando as penas brancas. O rosto com a sua forma peculiar e os olhos