Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2013

Peitica -- Empidonomus varius (Vieillot, 1818) (maria-é-dia,mosqueteiro listrado, bem-te-vizinho...)

CLIQUE PARA AMPLIAR                                                                          RESUMO: Vive nas matas ciliares, cerradões e matas secas. Coloniza áreas urbanizadas com boa arborização. Realiza migrações sazonais ao longo de sua distribuição, deslocando-se para latitudes mais baixas no inverno. É de difícil identificação não só devido à sua semelhança com o bem-te-vi-pirata   e com o bem-te-vi-rajado , mas também por essas duas outras espécies ocorrerem mais ou menos nos mesmos ambientes que o peitica e muitas vezes migrarem para os mesmos locais nas mesmas épocas. Segundo Gilberto Freire em “Casa Grande e Senzala”, algumas tribos indígenas do Brasil consideravam seu canto de mau agouro. Ao ouvir o canto da peitica, eles suspendiam as atividades e retornavam para suas malocas. Ainda hoje, no Nordeste, é comum ouvir-se a expressão “jogar peitica” significando “azarar” Também conhecido como bem-te-vi-peitica, bem-te-vizinho, maria-é-dia e mosqueteiro-listrado. O pe

Filhotes de sabiá-laranjeira --Turdus amaurochalinus Cabanis, 1850

                                                                RESUMO: O sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris) é uma ave comum na América do Sul, é o mais conhecido de todos os sabiás, facilmente identificado pela cor de ferrugem do ventre e por seu canto melodioso durante o período reprodutivo.  Se tornou símbolo representativo da fauna ornitológica Brasileira e considerada  popularmente Ave Nacional do Brasil.       Já era simbolo do estado de São Paulo desde 1966.  É citada por diversos poetas como o pássaro que canta o amor e a primavera. Ave também conhecida por: sabiá-cavalo, sabiá-ponga, sabia-coca, sabia-de-barriga-vermelha, sabiá-gongá, sabiá-laranja, sabiá-piranga, sabiá-amarelo, sabiá-vermelho, e sabiá-de-peito-roxo. Fonte de pesquisa: www.wikiaves.com.br & www.wikipédia.com.br LOCAL DAS FOTOS:  Arroio do Moinho 1º Canguçu RS Na foto acima é possível observar que os filhotes ainda estão em uma posição parecida de como eles ficam no

Gralha-azul -- Cyanocorax caeruleus (Vieillot, 1818)

clique nas imagens para ampliar                                                                                   ``DESCOBRI QUEM ESTAVA FURTANDO OS MEUS AMENDOINS!!´´                                                                                                                                        RESUMO: A  gralha-azul   ( Cyanocorax caeruleus ) é uma ave passeriforme      da família dos corvídeos,  com aproximadamente 40 cm de comprimento, de coloração geral azul vivo e preta na cabeça, na parte frontal do pescoço e na superior do peito. Machos e fêmeas tem a mesma plumagem e aparência embora as fêmeas em geral sejam menores. Embora se diga que seu habitat é a floresta de araucária  do sul do Brasil, por força da dieta composta de insetos, frutos e pequenos invertebrados, esta ave não tem dependência restrita dessas florestas e sua área de distribuição abrange desde o sul do Estado do Rio de Janeiro para o norte, até o Estado do Rio Grande do Sul,   sendo frequente  

Anu-branco -- Guira guira (Gmelin, 1788) (rabo-de-palha, alma-de-gato, anu-do-campo...)

clique nas imagens para ampliar                                                                                                                                   RESUMO: O  anu-branco  ( Guira guira   Gmelin. ), também chamado  rabo-de-palha ,  alma-de-gato  (a Piaya cayana   também é chamada de alma-de-gato),  anu-do-campo ,  anum-do-campo ,  pelincho ,  guirá-acangatara ,  piló ,  piriguá ,  quiriquiri  e  quiriru ,  é uma espécie de ave da família  Cuculidae  (subfamília Crotophaginae). É uma das aves  mais comuns do Brasil.                              São  essencialmente carnívoro , comendo gafanhotos, percevejos, aranhas, miriápodes etc. Predam também lagartas peludas e urticantes, lagartixas, camundongos, rãs e filhotes de outras aves. Cospem  pelotas.  Pescam na água rasa; periodicamente comem frutas, bagas, coquinhos e sementes, sobretudo na época seca quando há escassez de artrópodes. Já foi visto na Região dos Lagos, RJ, predando pequenos caramujos-africanos.     

Caneleiro - preto *** Pachyramphus polychopterus (Vieillot, 1818) (araponguinha, caneleirinho)

                                                                                                                                                    RESUMO: Aproximadamente 15,5 centímetros. O macho é delgado e de bico largo. A fêmea verde-olivácea com bordas na asa e na cauda, de cor ferrugínea e partes inferiores amareladas. Manifestações sonoras: sua voz desperta muita atenção, forte e sonoro “djöit djöt-djöt-djöt…”. A fêmea tem um canto semelhante ao do macho, mas com volume mais baixo. Também conhecido como araponguinha, bico-grosso-de-asas-brancas, caneleirinho e caneleirinho-preto. O caneleiro-preto é uma ave passeriforme    da família Tityridae. wikiaves.com.br Pássaro difícil de identificar, devido ao tom cinza,.. Pássaro brigão,  costuma frequentar mais a copa das árvores ,dá uma voadinha e pega uma frutinha,  e assim suscetivamente.. Estou tendo muita dificuldade em fazer um registro bom desta ave, embora tendo  um grande número de aves por aqui, não esta fácil

Quiriquiri -- Falco sparverius Linnaeus, 1758 (gaviaozinho, falcão-quiriquiri, gavião mirim...)

clique nas imagens para ampliar                                                                RESUMO: O  falcão-americano  ou  quiriquiri  ( Falco sparverius ) é Também conhecido como , falcão-quiriquiri, gavião-mirim (PE), gavião-quiriquiri (PE), gavião-rapina (NE) e gaviãozinho. Mede de 23 a 27 cm de comprimento e pesa de 85 a 140 gramas.  O macho é cinza azulado no alto da cabeça e asa, enquanto as costas e a cauda são marrom avermelhado, finamente estriadas de negro. Uma larga faixa negra sub terminal na cauda e ponta branca. As partes inferiores são brancas, com pontos negros no peito e barrigas, mais densos nos lados do corpo. Possui um desenho de lágrima, negra, abaixo do olho; uma outra linha vertical no lado da cabeça e um ponto negro na nuca.                                                     ALIMENTAÇÃO: Caça a partir de poleiros fixos, naturais ou artificiais (como os fios ao longo da estrada) mesmo em ambientes urbanos. Durante a caça voa a pouca altura do solo