Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

Sabiá-poca *** (filhotes)***Turdus amaurochalinus Cabanis, 1850

Clique nas imagens para visualizar tamanho grande                                                                       RESUMO: O sabia poca é uma ave passeriforme da família Turdidae.  É um dos sabias mais conhecidos pelos brasileiros, seja pelo seu aspecto triste,  seja pelo seu canto triste. Nas diversas regiões possui os mais variados nomes comuns: sabiá-branco, sabiá-do-peito-branco, sabiá-bico-amarelo, sabiá-bico-de-osso, e sabiá-bico-de-louça. Para identificá-lo, a característica mácula   escura, parecendo ser negra em alguns exemplares, entre o olho e o bico. Além disso, a cabeça é mais achatada, parecendo que o bico está no mesmo plano da testa. O papo branco e os riscos variam conforme o indivíduo. Algumas aves parecem ter uma gola branca separando os riscos do peito. Logo que saem dos ninhos,  os juvenis apresentam o peito e barriga todo pontilhado de bolas marrom-oliváceas, bem como as costas e asas pontilhadas de marrom claro. As penas das asas mantém essas caract

Coruja-buraqueira ***Athene cunicularia (Molina, 1782)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                        RESUMO: A  coruja-buraqueira  ( Athene cunicularia , anteriormente  Speotyto cunicularia ), também chamada  caburé-do-campo , coruja-do-campo ,  coruja-mineira ,  corujinha-buraqueira  ,  corujinha-do-buraco  ,  guedé ,  urucuera ,  urucureia  e  urucuriá.  Recebe o nome de "buraqueira" por viver em buracos cavados no solo. Embora seja capaz de cavar seu próprio buraco, prefere os buracos abandonados de outros animais, como os dos tatus.  É uma coruja  terrícola e de hábitos diurnos, embora tenda a evitar o calor do meio-dia. Ocorre do Canadá  à Terra do Fogo , bem como em quase todo o Brasil , mas com a exceção da  Amazônia.  Tais aves chegam a medir até 27 centímetros de comprimento. Vivem, no mínimo, nove anos em habitat   selvagem e dez em cativeiro   Coloca geralmente de seis a doze ovos. Costumam viver em campos, pastos, restingas, desertos,

Pula-pula *** Basileuterus culicivorus (Deppe, 1830)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                          RESUMO:                                                                             O pula-pula (Basileuterus culicivorus) é uma ave passeriforme  da família Parulidae . Recebe este nome por ser considerado  um pássaro inquieto que tem o hábito de pular incansavelmente.  Também é conhecido por sebinho. Mede cerca de 12 centímetros e pesa cerca de 10,5 gramas. Possui o lado inferior amarelo e o superior verde-oliváceo, sobrancelha esbranquiçada, realçada por uma faixa anegrada por baixo e por cima, faixa medial no píleo cinzento-avermelhada. Fonte: www.wikiaves.com.br ''Esta ave deu um trabalho bem grande para que eu conseguiste estes registros.   As fotos saíram muito ruim desfocadas, mas o bichinho é muito inquieto mesmo  Assim que conseguir fotos melhores postarei. Pelo que pude observar, esta ave normalmente frequenta a parte  baixa

Pica-pau-branco *** Melanerpes candidus (Otto, 1796)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                          RESUMO: O pica-pau-branco é uma ave piciforme da família Picidae. Também conhecido como birro ou cri-cri, sendo estes nomes referentes ao seu canto. Alimentam-se de insetos e suas larvas, sementes, frutos e mel. Caçam insetos especialmente sob a casca. Atacam ninhos de marimbondos e vespas. N estas ocasiões é notável como estes insetos voam próximo ao pica-pau sem atacá-lo com seus ferrões.  Procuram avidamente, as larvas, nas casas  de marimbondo, destruindo-as por completo. Abre ninhos de abelhas indígenas comoa irapuá ( Trigona spinipes ), para deles retirar larvas e adultos prestando importante serviço aos citricultores pois a irapuá causa prejuízo a produção de cítricos, uma vez que corta com suas mandíbulas os botões florais, impedindo a formação de frutos. Ataca também cupinzeiros arborícolas e vem ao solo para capturar formigas. Além de insetos

Andorinha-doméstica-grande ***Progne chalybea (Gmelin, 1789)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                           RESUMO:   A andorinha-doméstica-grande é uma ave passeriforme da família  Hirundinidae.   Conhecida em diversos lugares por nomes populares, tais como: andorinha-católica, andorinha-da-casa, andorinha-grande, andorinha-mestre e tapérá. Tem asas longas e pontiagudas, a cauda geralmente bifurcada em maior ou menor grau, o bico curto, chato e triangular, com ampla abertura bucal. Tem um vôo rápido e ágil. Mede cerca de 18 centímetros. Difere da andorinha-pequena-de-casa apenas no tamanho. Fonte: www.wikiaves ''Ave muito linda, com esta cor puxada a azul-oceano, tive sorte de flagrá-la quietinha no arame. Adoram usar ninhos abandonados de João-de-barro, também usam buracos de pica-pau em barrancos.'' LOCAL DAS FOTOS:  Arroio do Moinho 1º Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:   Pouco preocupante

Veste-amarela *** Xanthopsar flavus (Gmelin, 1788) ***AMEAÇADO DE EXTINÇÃO***

Clique na imagen para visualizar em tamanho grande                                                                      RESUMO:    O veste-amarela é uma ave Passeriforme  da família Icteridae. Também conhecido como pássaro-preto-de-veste-amarela. Entre outubro e dezembro a fêmea constroi o ninho em forma de taça profunda, composto de gramíneas e capins entrelaçados, bem fundo e a baixa altura, a menos de um metro do solo, amarrado a vegetação , em terreno encharcado. Nele deposita de um a cinco ovos claros com manchas vermelho-escuras, que são chocados por cerca de doze dias.  O ninho é defendido pelo macho, mas o casal acaba se favorecendo  de outros aliados na defesa de sua prole: quando o chopim-do-brejo ou a noivinha-de-rabo-preto nidificam nas proximidades, a agressividade destes vizinhos  diante de predadores acaba por protege-los também.  Mas para perpetuar a espécie eles tem que sobreviver ao risco de  queimadas e ao pisoteio do gado, mas principalmente ao parasitismo

Gavião-miúdo ***Accipiter striatus Vieillot, 1808

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                              RESUMO: O gavião-miúdo é uma ave accipitriforme da família Accipitridae. Também conhecido como gaviãozinho. As fêmeas medem 30 cm de comprimento com um peso de 145 a 215 gramas. Os machos medem 27 cm e pesa cerca de 85 a 125 gramas. Possui flancos e calções ferrugíneos uniformes.  Como é comum nas aves de rapina, as fêmeas desta espécie são maiores do que os macho (estes tem o porte um pouco maior que um sabiá), possui a cauda e dedos muito longos.  Fonte: www.wikiaves Esta ave foi registrada meio de surpresa, ouvi alguns sons que vinham de pequenos pássaros , que estavam muito agitados no topo das árvores, e comecei a procurar o motivo. Achei que poderia ser um gato do mato, mas logo percebi este pequeno gavião. Filmei ele e percebi que estava se alimentando de um resto de um  pequeno pássaro, por isso o alarde dos outros... Pensei q