Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

Araçari-castanho *** Pteroglossus castanotis Gould, 1834

Imagem
clique para ampliar                                                                                                                                         Resumo:   O araçari-castanho mede 43 cm de comprimento. Possui o peito  amarelo, recortado por uma faixa horizontal e contrastante, vermelha. Alimentam-se  principalmente de frutos, o que os coloca como grandes dispersores   de sementes e, algumas vezes, de flores e também de insetos e filhotes de outras aves, além de ovos.   Pteroglossus castanotis australis  (Cassin, 1867) - ocorre do Leste da Bolívia até o Sudeste do Brasil, nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul; no Leste do Paraguai e Nordeste da Argentina. Esta subespécie apresenta os lados da cabeça e calções marrom-castanhos. Costuma beber e tomar banho nas bromélias no alto das árvores, que ficam cheias durante as chuvas. É a espécie mais conhecida dos araçaris do Brasil central e oriental. Habita a mata alta, sobretudo nas copas, com

Marreco mandarim (fêmea) *** Aix galericulata Lineu, 1758

Imagem
clique na imagem para ampliar                                                                           RESUMO: O Pato-mandarim ( Aix galericulata ), marreco-mandarim ou apenas mandarim, é um pato de médio porte, parente próximo do  pato carolino. Mede de 41 a 49 cm de comprimento, com uma envergadura de 65 a 75 cm. O macho adulto é uma ave marcante e inconfundível. Possui um bico vermelho, faixas brancas crescentes acima dos olhos, uma face avermelhada e "bigodes". O peito é roxo com duas faixas verticais, os flancos rosados, com duas faixas laranjas que deslizam pelas costas. A fêmea é similar à fêmea do Pato-carolino, com um anel branco em volta do olho e desenhado para a parte de trás do olho, esbranquiçada na parte debaixo, com uma pequena faixa branca na lateral e esbranquiçada também na ponta do bico. Os Patos Mandarins são referenciados pelos chineses.  são frequentemente destacados na arte Oriental e são considerados como símbolos de carinho e fidelidade c

coruja - orelhuda *** Asio clamator (Vieillot, 1808)

Imagem
Clique na imagem para ampliar                                                                                                                                                      RESUMO: A  coruja-orelhuda    ( Asio clamator )  é uma coruja   da família dos estrigídeos, com ampla distribuição na América Central e do Sul,   com exceção das áreas florestais da  Amazônia.   Conhecida também como coruja-gato (Pernambuco), coruja-listrada e mocho-orelhudo. T ais aves chegam a medir até 37 cm de comprimento, penacho da cabeça longo e proeminent e e disco facial branco margeado de negro. Também são conhecidas pelos nomes de coruja-gato,   de hábitos noturnos . Às vezes é confundida com o mocho orelhudo, que possui algumas características idênticas, mas ele é maior e mais pesado. A coruja orelhuda é uma espécie relativamente grande atingindo de 30 cm a 37 cm de comprimento, envergadura de 22,8 a 29,4 cm pesando entre 320-546 g. Ocorre da Venezuela a Bolívia, Paraguai, Argentina, Urugu

anacã *** Deroptyus accipitrinus (Linnaeus, 1758) ( papagaio-de-coleira, curica-bacabal...)

Imagem
Foto modificada, original abaixo...                                                                       RESUMO:  O anacã mede de 35 a 41 centímetros de comprimento. A fêmea é um pouco maior do que o macho. Inconfundível pela sua vistosa coloração, destacando-se a plumagem do pescoço, peito  e ventre de cor vermelha com borda azul. Pela sua silhueta, em que se realça o topete, pode ser confundido com um gavião.   Alimenta-se   de frutas de palmeiras, flores e sementes. Apreciando os cocos de bacaba e das  embaúbas,  além de frutas silvestres. Faz ninho  em buracos de árvores mortas, inclusive naqueles feitos por pica-paus, a partir do mês de fevereiro.  Habita  florestas úmidas, semi-úmidas, de galeria, até 400 metros. Em geral em grupos pequenos (4 a 7 indivíduos) ou em pares abaixo do dossel, pousando frequentemente em ramos expostos de árvores mortas. Voa baixo.  Distribuição geográfica: Descontinua, Amazônia, do sul da Venezuela até o nordeste do Equador e Peru,

Guaxe *** Cacicus haemorrhous (Linnaeus, 1766) ( japim-do-mato, japim-guaxe, japira...)

Imagem
clique nas imagens para ampliar RESUMO: O guaxe mede de 21,5 a 29,5 centímetros de comprimento e pesa entre 62 e 96 gramas de peso. O macho mede de 27 a 29,5 centímetros de comprimento e a fêmea 21,5 a 24 centímetros. A plumagem do Guaxe é quase totalmente negra. A íris é azul. O bico é longo, reto e amarelo. A parte poste rior das costas e uropígio, ​​é de cor vermelha. Esta parte é especialmente visível em voo. As pernas são pretas. Não há nenhuma diferença visível entre a plumagem do indivíduo do sexo masculino e o indivíduo do sexo feminino. Os machos são ligeiramente maiores que as fêmeas. A plumagem juvenil é fuligem, apresentando a íris na cor marrom. O guaxe é um passeriforme da família Icteridae.   Conhecido também como japim-de-costas-vermelhas, japiim-do-mato, japim-guaxe, japira.                                Leva de 24 a 36 meses para atingir a maturidade sexual. Somente a fêmea constrói o ninho em forma de bolsa com 40 a 70 centímetros de com