Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2016

Socozinho *** Butorides striata (Linnaeus, 1758) -Striated Heron-

O  socozinho  ( Butorides striatus ) é uma espécie de socó    com ampla distribuição nas áreas alagadas das Américas e em grande parte do mundo. Tal espécie chega a medir até 36 centímetros comprimento, possuindo capuz e topete nucal negros, pescoço acinzentado, peito com estrias ferrugem, dorso estriado de marrom, pernas amarelas e curtas. Também é conhecida pelos nomes de  ana-velha ,  garça-socoí ,  maria-mole ,  socó-boi ,  socó-criminoso ,  socó-estudante , socoí ,  socó-mijão ,  socó-mirim  e  socó-tripa . É uma ave aquática muito comum em áreas alagadas. Geralmente, nidifica solitário, podendo associar-se a outros indivíduos no período de reprodução, formando colônias de nidificação. Um estudo investigou a sua nidificação em uma área alagável no município de Porto Esperidião,  no estado brasileiro do Mato Grosso: foram observados os números de ninhos/ovos, distribuição espacial, período de incubação e biometria dos ovos. Foram realizadas visitas semanais à área de estud

Seriema *** Cariama cristata (Linnaeus, 1766) -Red-legged Seriema-

Ave típica dos cerrados   do Brasil, a seriema possui porte imponente e cauda longa. Sua plumagem    é cinza-amarelada, com finas riscas escuras: abdomên um pouco mais claro, bico    e pernas vermelhos. Tem a crista formada por um tufo de penas longas, com cerca de 12 centímetros. É uma das poucas aves que possuem pestanas. Atinge uma altura média de 70 centímetros, podendo chegar a 90 centímetros de comprimento e pesar até 1,4 quilo. O porte dos jovens podem ser igual ao dos adultos e, para diferenciá-los, a cor dos olhos é uma das melhores maneiras. Nos adultos, os olhos são acinzentados; já nos jovens, são amarelados. Seu canto é marcante, podendo ser ouvido a mais de 1 quilômetro. Seus gritos, seja de uma ave solitária, seja de um casal em dueto, são altos e longos. Parecem longas risadas, as quais vão acelerando-se e aumentando de tom à medida que a ave repete o canto. Pode permanecer gritando por vários minutos a fio. A seriema é uma ave cariamiforme   da família cariamid

Ema *** Rhea americana (Linnaeus, 1758) ---Greater Rhea--

 A ema e o avestruz nos confundem muito, e seguidamente  nos deparamos com perguntas sobre eles. Afinal qual é a diferença??  O avestruz é uma ave originária da Africa  que leva o nome científico de struthio camelus, pertencente a ordem dos struthioniformes,   já a ema é uma ave  Rheiforme da família Reidhae, que ocorre exclusivamente na América do Sul. A ema é a maior e mais pesada ave do continente americano.    Um macho adulto pode atingir 1,70 m de comprimento e pesar até 36 kg. A  envergadura  pode atingir 1,50 m de comprimento. Apresentam plumagem do dorso marrom-acinzentada, com a parte inferior mais clara. O macho distingue-se por ter a base do pescoço, parte do peito e parte anterior do dorso negros. Difere do avestruz  por não apresentarem cauda epigóstilo.  Também não possuem glândula uropigiana.  Ao contrário das demais aves, há separação das fezes e da urina na cloaca;  os machos adultos possuem um grande pênis. Possuem pernas fortes e pés providos de três de

Flamingo - chileno *** Phoenicopterus chilensis (Molina, 1782) -Chilean Flamingo-

Existem no mundo cinco espécies de flamingos, duas das quais ocorrem no Brasil: o   flamingo-chileno   ( Phoenicopterus chilensis ), que pode ser observado no sul do país, e o flamingo americano      ( Phoenicopterus ruber ), que nidifica no extremo norte do país, região do cabo Orange, no Amapá.   Além dessas, o Flamingo-grande ( Phoenicopterus ruber ) foi introduzido comercialmente e é encontrado com relativa freqüência em parques e exposições. Pode-se diferenciar as três espécies principalmente pelo tamanho e pela coloração. O flamingo-chileno é de menor porte e com tom de rosa mais claro, enquanto o flamingo-grande, considerado o maior das 5 espécies, é de cor rosa mais intensa. Já o flamingo-americano tem porte mediano e coloração vermelho-carmim. São animais de hábitos migratórios, que podem voar aproximadamente 500 km por dia em busca de alimento e locais para nidificação. Vivem em grandes colônias que variam de 3 a 6.000 pares. Assim, reproduzem-se em grupos, botando