Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2016

Periquito-rei *** Eupsittula aurea (Gmelin, 1788)

RESUMO: O periquito-rei  Não é considerado ameaçado.   Embora seja comum e muito abundante, já desapareceu de grandes extensões da Argentina. Não obstante, em outras áreas a população aumentou, possivelmente devido ao cultivo. É frequente em cativeiro   e amplamente comercializado.É  uma ave psittaciforme,   das mais conhecidas e abundantes representantes da família Psittacidae   em nosso País. Conhecido também como periquito-estrela, ararinha e cabecinha de coco (Goiás), jandaia-estrela, jandaia-coquinho, aratinga-estrela, coquinho-de-ouro, jandaia, ararinha, maracanã-de-testa-amarela (Amapá) e periquito-cabeça-de-coco (Minas Gerais). epando na ramaria, utiliza o bico  como um terceiro pé e usa as patas para segurar a comida,  levando-a à boca. Normalmente, aprecia as sementes e não a polpa das frutas, porém gosta de comer polpa de caju. Procura por mangueiras, jabuticabeiras, goiabeiras, laranjeiras e mamoeiros. Aprecia muito os mulungus (Erythrina sp) e também os frutos do tapiá

João-de-barro (TOMANDO BANHO) *** Furnarius rufus Gmelin, 1788

  RESUMO: O joão-de-barro é  c onhecido também como barreiro, joão-barreiro (Rio Grande do Sul), maria-barreira (Bahia), forneiro, pedreiro, oleiro, hornero (Argentina) e amassa-barro. A fêmea é conhecida como “joaninha-de-barro”, “maria-de-barro” ou “sabiazinho” em certas regiões. É conhecido por seu característico ninho de barro em forma de forno. O joão-de-barro é tido como passarinho trabalhador e inteligente. Seu canto parece uma gargalhada (no Sul dizem que, quando ele canta, é sinal de bom tempo) e também dizem que ele faz o ninho na direção contrária à da chuva, e é amigo de todos, lutando para salvar seu ninho. É muito comum em paisagens abertas, como campos, cerrados, pastagens, ao longo de rodovias e em jardins. Caminha pelo chão em busca de insetos, frequentemente pousando em postes, cercas, galhos isolados e outros pontos que permitam uma boa visão dos arredores. Vive geralmente aos casais. Canta em dueto (macho e fêmea juntos, cada qual de um modo um pouco diferent

Papagaio-verdadeiro***Amazona aestiva (Linnaeus, 1758) (-Parque das aves-)

RESUMO: O papagaio-verdadeiro  Amazona aestiva   (L.) , mede cerca de 38 cm (quinze polegadas) de comprimento e pesa cerca de quatrocentos gramas. É uma das espécies mais inteligentes de ave do planeta.   conhecido vulgarmente como  papagaio-verdadeiro , ajuruetê ,  papagaio-grego  ,  ajurujurá ,  curau ,   papagaio-comum , papagaio-curau ,  papagaio-de-fronte-azul  e  trombeteiro , é uma ave  da família Psittacidae. Sua expectativa de vida é de oitenta anos. Os papagaios-verdadeiros também costumam repetir o que ouvem de seus donos. Sua alimentação na natureza é a base de castanhas, frutas silvestres e sementes, principalmente leguminosas. Em cativeiro são oferecidos, além da ração comercial, frutos, sementes e vegetais, uma simulação de alimentação balanceada com todos os nutrientes necessários para uma vida saudável em cativeiro, quando filhotes, em cativeiro, precisam de cuidado redobrado, pois é necessária a monitorização da alimentação que deve ser dada diretamente na boca,

Jacutinga*** Aburria jacutinga (Spix, 1825) -AVE AMEAÇADA DE EXTINÇÃO - (Parque das aves, Paraná)

                                                                        RESUMO: É uma ave grande, medindo entre 64 e 74 cm de comprimento e pesando de 1,1 a 1,4 kg. É fácil de identificar, pois em quase toda a sua área de ocorrência é o único Cracídeo com mancha branca na asa. No extremo oeste da área de ocorrência, no Paraguai, a espécie pode ocorrer ao lado da jacutinga de garganta azul  ( Aburria cumanensis ), que também possui mancha branca na asa, mas, como o nome sugere, possui garganta azul ao invés de vermelha, e a cara também é toda branca.  É uma das espécies ameaçadas de tornar-se extintas em pouco tempo, caso o pouco que resta da Mata Atlântica não seja efetivamente protegido. Sua população foi drasticamente reduzida. Desapareceu na maioria dos lugares onde era comum e abundante, inclusive nos vales dos grandes rios do Sul e Sudeste brasileiro, onde era encontrada em qualquer mata. Relatos antigos indicam a caça de aproximadamente 50 mil jacutingas no vale do rio Itaja

Arara-vermelha ***Ara chloropterus (Gray, 1859) ( PARQUE DAS AVES )

                                                                              RESUMO: A  arara-vermelha  ( Ara chloropterus ), também chamada  arara-verde ,  araracanga ,  aracanga ,  arara-macau , ararapiranga  e  macau , é uma ave psitaciforme,  nativa das florestas do Panamá, Brasil, Paraguai e Argentina.  A sua alimentação é baseada em  sementes, frutas e coquinhos.   A arara-vermelha mede até noventa centímetros de comprimento e pesa até 1,5 quilogramas. Cada postura é composta por ovos de cinco centímetros, incubados por 29 dias. O ninho dessa arara é feito em ocos de árvores, mas ela também se aproveita de buracos em paredes rochosas para colocar os ovos, os quais são chocados apenas pela fêmea, que fica no ninho. Quem cuida de garantir a alimentação tanto da fêmea como dos filhotes é o macho, que, nessa espécie, é fiel, mantendo a mesma companheira durante a vida inteira. Araracanga" e "aracanga" vêm do termo  tupi  arara'kãga . "Arara" v

Filhote de pombinha rola *** (Poucos dias de vida) Rolinha-picui - Columbina picui (Temminck, 1813)

                                                                             RESUMO:  A rolinha é uma ave da família  columbidae , subfamília columbinae , mesma subfamília dos típicos pombos, mas pertence a um gênero diferente: Columbina. Registra-se também no Brasil a rolinha-vaqueira ou rola-vaqueira,   pertencente a um gênero diferente do  columbina. Trata-se da  Uropelia campestris. Portanto, no Brasil, encontram-se aves com o nome popular "rolinha" em espécies do gênero Columbina e Uropelia.  Também conhecida no Brasil: r olinha-rabo-de-prata, rolinha-pintada, rolinha-picui, rolinha-pajeú, rolinha-branca, rola-azul. wikipédia É comum em regiões semi-abertas, capoeiras, beiras de  matas mesófilas, matas secas, cerrados, plantações, campos e pastos sujos ou “tigueras”. Aparece nas proximidades da orla marítima nos campos litorâneos. Vive em casais ou pequenos grupos, algumas vezes misturando-se às outras rolinhas. Ocupa ambientes abertos. Nas áreas de caat

Sabiá-do-banhado (JOVEM) ***Embernagra platensis (Gmelin, 1789) -Great Pampa-Finch -

  RESUMO: sabiá-do-banhado m ede entre 20,5 e 23 centímetros de comprimento e pesa entre 45 e 47 gramas. (Jaramillo, 2015). É um  Passeriforme da família Traupidae.  Também conhecido por ticulía (RS) Indivíduo jovem ( FOTO ACIMA)ou imaturo da espécie apresenta coloração amarelo-esverdeado com estrias escuras. A garganta é amarela, o peito e a porção superior do ventre são amplamente estriados. Na cabeça podem ser observadas sobrancelhas grandes e amarelas da mesma cor dos loros. Um notável anel periocular amarelo reveste a pele que circunda as íris escuras. O bico é robusto e de coloração cinza escuro, sendo a mandíbula mais clara que a maxila. Alimenta-se de pequenos insetos e sementes. Vive solitário ou em pares nos pântanos com alguma vegetação alta, campos sujos e úmidos. Nos campos de altitude da Mantiqueira (Itatiaia RJ a 1800 m, e Caparaó MG) anda a passos largos sobre o solo, pousa nas pontas de arbustos, segurando-se às vezes em dois galhos de uma bifurcação, pousa sobr

Guará *** Eudocimus ruber Linnaeus, 1758 (Fotografado no parque das aves)

O  guará  ( Eudocimus ruber ) é uma ave ciconiforme da família Threskiomithidae.  mede cerca de cinquenta a sessenta centímetros. Possui bico   fino, longo e levemente curvado para baixo. A plumagem é de um colorido vermelho muito forte, por causa de sua alimentação à base de um caranguejo   que possui um pigmento que tinge as plumas. No  cativeiro,  com a mudança da alimentação,  as plumas perdem a cor e ficam com um tom cor-de-rosa apagado. Após vários anos de extinção, a espécie pode ser encontrada também no estado de Santa Catarina, mais especificamente no litoral norte. Porém sua população vem crescendo, o que pode favorecer o repovoamento de outros municípios do estado de Santa Catarina (Grose et al. 2013). A  reprodução    é feita em  colônias . Os ninhos      são feitos no alto das  árvores  de mangue. A fêmea põe dois ou três ovos de cor bege, com manchas marrons. Os filhotes nascem de cor escura, e peito branco, se tornando completamente vermelhos após 1 e 1 ano e m

Pombão - Patagioenas picazuro (Temminck, 1813) (pomba-carijó, asa-branca, legítima mineira...)

                                                                          RESUMO: O pombão, conhecido aqui no RS como carijó ,é uma das maiores espécies da família no País. cabeça  e partes de baixo marrom vinho, barriga pálida. Penas da nuca branco-prateado com pontas pretas. Manto superior roxo metálico, pontas escuras. Costas na maior parte cinza escuro. Asas marrom apagado, cobertura das asas cinza com pontas pálidas. Cauda preta. Pele orbital vermelha. A fêmea tem cor mais pálido. Mede cerca de 34 centímetros. canto  baixo, profundo e rouco, de três a quatro sílabas: “gu-gu-gúu”, “gú-gu-gúu”, sendo que o macho emite quatro repetições e a fêmea três. Alimenta-se de sementes e pequenos frutos geralmente coletados no solo. São granívoros e frugívoros, frequentando roças de milho e feijão, principalmente após a colheita. O pombão é uma ave  columbiforme  da  família Columbidae. Conhecido pelos nomes populares de: asa-branca, legítima, legítima-mineira, pombo (a) do ar, pomba-