Pular para o conteúdo principal

Postagens

Sabiá-poca *** (filhotes)***Turdus amaurochalinus Cabanis, 1850

Clique nas imagens para visualizar tamanho grande                                                                       RESUMO: O sabia poca é uma ave passeriforme da família Turdidae.  É um dos sabias mais conhecidos pelos brasileiros, seja pelo seu aspecto triste,  seja pelo seu canto triste. Nas diversas regiões possui os mais variados nomes comuns: sabiá-branco, sabiá-do-peito-branco, sabiá-bico-amarelo, sabiá-bico-de-osso, e sabiá-bico-de-louça. Para identificá-lo, a característica mácula   escura, parecendo ser negra em alguns exemplares, entre o olho e o bico. Além disso, a cabeça é mais achatada, parecendo que o bico está no mesmo plano da testa. O papo branco e os riscos variam conforme o indivíduo. Algumas aves parecem ter uma gola branca separando os riscos do peito. Logo que saem dos ninhos,  os juvenis apresentam o peito e barriga todo pontilhado de bolas marrom-oliváceas, bem como as costas e asas pontilhadas de marrom claro. As penas das asas mantém essas caract

Coruja-buraqueira ***Athene cunicularia (Molina, 1782)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                        RESUMO: A  coruja-buraqueira  ( Athene cunicularia , anteriormente  Speotyto cunicularia ), também chamada  caburé-do-campo , coruja-do-campo ,  coruja-mineira ,  corujinha-buraqueira  ,  corujinha-do-buraco  ,  guedé ,  urucuera ,  urucureia  e  urucuriá.  Recebe o nome de "buraqueira" por viver em buracos cavados no solo. Embora seja capaz de cavar seu próprio buraco, prefere os buracos abandonados de outros animais, como os dos tatus.  É uma coruja  terrícola e de hábitos diurnos, embora tenda a evitar o calor do meio-dia. Ocorre do Canadá  à Terra do Fogo , bem como em quase todo o Brasil , mas com a exceção da  Amazônia.  Tais aves chegam a medir até 27 centímetros de comprimento. Vivem, no mínimo, nove anos em habitat   selvagem e dez em cativeiro   Coloca geralmente de seis a doze ovos. Costumam viver em campos, pastos, restingas, desertos,

Pula-pula *** Basileuterus culicivorus (Deppe, 1830)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                          RESUMO:                                                                             O pula-pula (Basileuterus culicivorus) é uma ave passeriforme  da família Parulidae . Recebe este nome por ser considerado  um pássaro inquieto que tem o hábito de pular incansavelmente.  Também é conhecido por sebinho. Mede cerca de 12 centímetros e pesa cerca de 10,5 gramas. Possui o lado inferior amarelo e o superior verde-oliváceo, sobrancelha esbranquiçada, realçada por uma faixa anegrada por baixo e por cima, faixa medial no píleo cinzento-avermelhada. Fonte: www.wikiaves.com.br ''Esta ave deu um trabalho bem grande para que eu conseguiste estes registros.   As fotos saíram muito ruim desfocadas, mas o bichinho é muito inquieto mesmo  Assim que conseguir fotos melhores postarei. Pelo que pude observar, esta ave normalmente frequenta a parte  baixa

Pica-pau-branco *** Melanerpes candidus (Otto, 1796)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                          RESUMO: O pica-pau-branco é uma ave piciforme da família Picidae. Também conhecido como birro ou cri-cri, sendo estes nomes referentes ao seu canto. Alimentam-se de insetos e suas larvas, sementes, frutos e mel. Caçam insetos especialmente sob a casca. Atacam ninhos de marimbondos e vespas. N estas ocasiões é notável como estes insetos voam próximo ao pica-pau sem atacá-lo com seus ferrões.  Procuram avidamente, as larvas, nas casas  de marimbondo, destruindo-as por completo. Abre ninhos de abelhas indígenas comoa irapuá ( Trigona spinipes ), para deles retirar larvas e adultos prestando importante serviço aos citricultores pois a irapuá causa prejuízo a produção de cítricos, uma vez que corta com suas mandíbulas os botões florais, impedindo a formação de frutos. Ataca também cupinzeiros arborícolas e vem ao solo para capturar formigas. Além de insetos

Andorinha-doméstica-grande ***Progne chalybea (Gmelin, 1789)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                           RESUMO:   A andorinha-doméstica-grande é uma ave passeriforme da família  Hirundinidae.   Conhecida em diversos lugares por nomes populares, tais como: andorinha-católica, andorinha-da-casa, andorinha-grande, andorinha-mestre e tapérá. Tem asas longas e pontiagudas, a cauda geralmente bifurcada em maior ou menor grau, o bico curto, chato e triangular, com ampla abertura bucal. Tem um vôo rápido e ágil. Mede cerca de 18 centímetros. Difere da andorinha-pequena-de-casa apenas no tamanho. Fonte: www.wikiaves ''Ave muito linda, com esta cor puxada a azul-oceano, tive sorte de flagrá-la quietinha no arame. Adoram usar ninhos abandonados de João-de-barro, também usam buracos de pica-pau em barrancos.'' LOCAL DAS FOTOS:  Arroio do Moinho 1º Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:   Pouco preocupante

Veste-amarela *** Xanthopsar flavus (Gmelin, 1788) ***AMEAÇADO DE EXTINÇÃO***

Clique na imagen para visualizar em tamanho grande                                                                      RESUMO:    O veste-amarela é uma ave Passeriforme  da família Icteridae. Também conhecido como pássaro-preto-de-veste-amarela. Entre outubro e dezembro a fêmea constroi o ninho em forma de taça profunda, composto de gramíneas e capins entrelaçados, bem fundo e a baixa altura, a menos de um metro do solo, amarrado a vegetação , em terreno encharcado. Nele deposita de um a cinco ovos claros com manchas vermelho-escuras, que são chocados por cerca de doze dias.  O ninho é defendido pelo macho, mas o casal acaba se favorecendo  de outros aliados na defesa de sua prole: quando o chopim-do-brejo ou a noivinha-de-rabo-preto nidificam nas proximidades, a agressividade destes vizinhos  diante de predadores acaba por protege-los também.  Mas para perpetuar a espécie eles tem que sobreviver ao risco de  queimadas e ao pisoteio do gado, mas principalmente ao parasitismo

Gavião-miúdo ***Accipiter striatus Vieillot, 1808

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                              RESUMO: O gavião-miúdo é uma ave accipitriforme da família Accipitridae. Também conhecido como gaviãozinho. As fêmeas medem 30 cm de comprimento com um peso de 145 a 215 gramas. Os machos medem 27 cm e pesa cerca de 85 a 125 gramas. Possui flancos e calções ferrugíneos uniformes.  Como é comum nas aves de rapina, as fêmeas desta espécie são maiores do que os macho (estes tem o porte um pouco maior que um sabiá), possui a cauda e dedos muito longos.  Fonte: www.wikiaves Esta ave foi registrada meio de surpresa, ouvi alguns sons que vinham de pequenos pássaros , que estavam muito agitados no topo das árvores, e comecei a procurar o motivo. Achei que poderia ser um gato do mato, mas logo percebi este pequeno gavião. Filmei ele e percebi que estava se alimentando de um resto de um  pequeno pássaro, por isso o alarde dos outros... Pensei q

Caneleiro-de-chapéu-preto (fêmea) ***Pachyramphus validus (Lichtenstein, 1823)

                                                                              RESUMO: O caneleiro-de-chapéu-preto é uma ave passeriforme da família Tityridae. Este pássaro, assim como os demais Tityridae ,  pertencia à família Cotingidae e era denominado de Platypsaris rufus. Também conhecido como caneleira, caneleiro, caneleiro-de-chapéu-negro e caneleiro-de-crista. Macho todo escuro, negro em parte das costas e cabeça, acinzentado na região ventral.  Nas asas, algumas penas brancas, raramente visíveis à distância. Fêmea marrom, mais clara na região ventral. Na cabeça, o característico topo cinza escuro, em forte contraste com o corpo . Área clara  na frente dos olhos, característica semelhante às outras espécies do gênero, mas virtualmente invisível no macho. O seu canto lembra o dos beija-flores, sendo o canto da fêmea mais melodioso do que o do macho, uma exceção no mundo das aves. Raramente emitem um chamado baixo, anasalado. Fonte:  www.wikiaves ''E

Besourinho-de-bico-vermelho (fêmea) Chlorostilbon lucidus (Shaw, 1812)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                        RESUMO: O besourinho-de-bico-vermelho é uma ave  apodidae  da família Trochilidae.  Também conhecido como beija-flor-besourinho-de-bico-vermelho (Pernambuco), beija-flor-de-bico-vermelho, esmeralda-de-bico-vermelho.Ave muito brilhosa de um verde muito lindo,tem o bico vermelho com a ponta preta. Esse beija-flor tem 8,5 centímetros e pesa 3,5 gramas. Como seu nome já diz, seu bicoe vermelho com a ponta negra.  Sua plumagem verde-brilhante abrange as partes dorsal e ventral, apresentando um brilho dourado mais intenso na fronte e mais azulado na garganta. As penas da cauda são azuis. A fêmea distingue-se por uma linha curva branca atrás dos olhos e pela ponta da cauda esbranquiçada.  Fonte: www.wikiaves.com.br Ha princípio achei que se tratava de uma outra espécie, pois percebi as manchas brancas na cabeça, e como o besourinho macho era bem diferente, n

Garça-branca-grande *** Ardea alba Linnaeus, 175

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                                                                                                       RESUMO: A garça-branca-grande (Ardea alba,sinõnimo Casmerodius albus0, também conhecida apenas como garça-branca, é uma ave da ordem Pelecaniformes. É comum á beira de lagos, rios e banhados. Foi muito caçada para a retirada de engretas - penas especiais que se formam no período reprodutivo - para a industria de chapéus para mulheres.  Fonte: www.wikiaves ''Aqui em meu Município, mais precisamente onde moro  é muito alto 426 m de altitude, esta ave é pouco observada, (até porque não se tem por aqui grandes áreas alagadas). Tive sorte de vê-la em um açude pela primeira vez, em vários anos. Já havia observado várias em Sao Lourenço do Sul RS, mas não tinha conseguido fotografar, sempre no meio das taboas... Ela é lindona, para o leigo  muito fácil de confundir com

Azulinho-jovem***cyanoloxia glaucocaerulea- (d'orbigny & lafresnaye 1837)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                              RESUM O:  O azulinho é uma ave  passeriforme  da família  Cardinalidae.   É conhecido também por Azulinho do Sul.  Muito parecido com o Azulão só que menor.  Quase uma miniatura do azulão (cyanoloxia brissoni), mas menos robusto, de pernas mais longas e de bico relativamente pequeno. Canto fluente de andamento rápido. As fêmeas e os filhotes são pardos.  FONTE: wikiaves Pássaro dono de um canto muito lindo. O macho é azul, a fêmea e os filhotes são pardos! Na foto acima está um macho, e nas duas de baixo estão dois jovens.  Nos dois é possível observar o começo da  coloração azul na cabeça. Pássaro granívoro. Aqui em canguçu RS eu só o observei no verão,  no inverno não o vi mais! É o segundo ano que percebo que vocaliza muito nos meses de novembro em diante, mas não vi companheira todo este tempo, acredito ser um macho. (foto) Pássa

Piolhinho-chiador***Tyranniscus burmeisteri (Cabanis & Heine, 1859)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                          RESUMO: O piolhinho-chiador é uma ave passeriforme da família Tyrannidae. Mede 12 centímetros. Diferencia-se de outras espécies do gênero Phyllomyas pelo píleoolivácio e as asas com marcas quase inconspícuas, sem faixas e bandas disceníveis. Seu bico é curto e massivo. Fonte: www.wikiaves Pássaro muito ativo, observei-o esta única vez por aqui e pude perceber que é muito difícil de observá-lo quieto.  Esta sempre pulando aqui, ali nos galhos atrás de alimento. Alimenta-se de artrópodes.  As fotos ficaram muito ruins, não conseguia focá-lo, o bichinho é elétrico, rsrrsrs! LOCAL DAS FOTOS: Arroio do Moinho 1º Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO:   Pouco preocupante

João-botina-do-brejo ***Phacellodomus ferrugineigula (Pelzeln, 1858)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                                                                                                     RESUMO: O joão-botina do brejo é uma ave Passeriforme da família Furnariidae.  Era considerado uma subespécie do joão-botina-da-mata (Phacellodomus erytrhropthalmus). Nome científico Phacellodomus ferrugineigula: Pássaro de garganta enferrujada que faz sua casa de gravetos. Fonte: www.wikiaves.com.br Ave muito difícil de se registrar, já que adora andar  por locais de vegetação bem tramada(fechada), banhados, gravatal,  juncos, enfim sempre bem escondido.  Tive que usar play back para que saíssem do meio do banhado, mas foi rápido uma olhadinha e foram-se. Esta ave não se tem muitas informações ainda, como hábitos alimentares, reprodução...  tem-se poucos  registros feitos no RS, pelo que vi no wiki. Local das fotos:   Arroio do Moinho Canguçu RS   ESTADO

Beija-flor-de-fronte-violeta (macho)Thalurania glaucopis (Gmelin, 1788)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                              RESUMO: O beija-flor-de-fronte-violeta é uma ave apodiforme da família Trochilidae..  Conhecido também como tesoura-de-fronte violeta. Mede aproximadamente 11,1 centímetros. Verde brilhante de boné azul-violeta, tufos do crisso brancos, retrizes azul-aço, bico negro. A fêmea  apresenta as partes inferiores brancas sujas, retrizes laterais com pontas brancas, testa e lado inferior  as vezes lavados de canela . Sua  manifestação sonora se da pelo canto ''tirip-trip, trip-ti-tri...'' Fonte: www.wikiaves ''Minha primeira visualização  desta bela ave por aqui. Apareceu na florada das laranjeiras, ,pude vê-lo só um dia, depois disso não o visualizei mais.'' LOCAL DAS FOTOS: Arroio do Moinho 1º Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇAO:     Pouco preocupante

Beija-flor-dourado *** Hylocharis chrysura (Shaw, 1812)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande RESUMO: O beija-flor-dourado é uma ave apodiforme da família Trochilidae . O corpo é verde com tons dourados, sob luz adequada para dar iridescência.   A cauda verde dourada, as vezes com mais destaques para o dourado, diferente da mencionada. O papo é levemente alaranjado. Macho e fêmea são parecidos ( o livro do sigrist não especifica diferença entre plumagens dos sexos, apenas entre as duas subespécies  H.C. crysura e H.C platensis), sendo essa de cores um pouco apagadas, característica perceptível somente  sob excelente condição de luz.  Possui o bico vermelho com a ponta negra, embora a cor do bico seja ainda mais chamativa.  SUBESPÉCIES: O beija-flor-dourado apresenta duas subespécies * Hylocharis chrysura : Sul, Sudeste, e Centro-Oeste * Hylocharis chrysura platensis : Sul Fonte: www.wikiaves.com.br Grande registro aqui para o Município, ave nunca observada por mim por aqui.  Fiquei muito contente co

Frango d'água comum *** Gallinula galeata (Lichtenstei, 1818)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                           RESUMO: O frango-d'água -comum é uma ave aquática das mais comuns em várias partes do Brasil, escasseia na floresta Amazônica e, surpreendentemente, não é muito freqüente no Pantanal. Conhecido também, como galinhola (Rio Grande do Sul), jaçana-galo (Norte), peituda (Rio de Janeiro) e galinha d'água. Antigamente denominado Gallinula chloropus. Fonte: www.wikiaves Esta ave realmente é bem comum por aqui, em qualquer açude ou lagoa natural, ela poderá ser encontrada.  Costuma passar o a maior parte do seu tempo na margem catando alimentos, ao sinal de qualquer movimento  se afasta nadando para o mais longe possível. LOCAL DAS FOTOS: Arroio do Moinho 1º Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Pouco preocupante

Cardeal - Paroaria coronata (Miller, 1776)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                           RESUMO: O cardeal é uma ave   Passeriforme  da família  Thraupidae  Também conhecido como cardeal-do-sul, galo-de-campina, cardeal-de-topete-vermelho, guiratirica, e tié-guaçu-paroara. Fonte: wikiaves.com.br Ave muito comum aqui em Canguçu RS, normalmente andam em casais, mas se juntam em grandes grupos também. Alimentam-se basicamente de grãos, mas caçam também  alguns artrópodes. ''Ave muito perseguida por sua beleza, e por  seu canto, que é muito lindo.  Aqui no Município pude observar vários indivíduos.'' É comum vê-lo misturado a outros bandos de pássaros,  tais como o asa-de-telha entre outros.. LOCAL DAS FOTOS:   Arroio do Moinho 1º 

Beija-flor-de- papo branco -- Leucochloris albicollis (Vieillot, 1818)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande RESUMO: O beija-flor-de-papo-branco é uma ave apodiforme da família Trochilidae.  Mede cerca de 10 centímetros. O papo-branco é um beija-flor robusta, fácil de identificar por ter  garganta e o peito brancos, separados por uma faixa verde. Fonte: www.wikiaves.com.br Meu primeiro registro desta ave não foi feito aqui em minha região, foi feita em Cambara do Sul em uma viagem que fiz aos cânions, no Parque nacional Aparatos da Serra. A foto é esta de baixo. Agora finalmente consegui registrá-lo aqui em Canguçu, bem na florada da laranjeira.Tinham vários deles, fronte-violeta, beija-flor-dourado, de topete, e o papo-branco. Meu Primeiro registro... CAMBARÁ   RS

Suiriri-pequeno ***Satrapa icterophrys (Vieillot, 1818)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande RESUMO:   O suiriri-pequeno é uma ave  passeriforme da família Tyrannidae. Também conhecido como suiriri e suiriri-de-sobrancelhas-amarelas. Esta ave eu particularmente acho muito discreta, passando facilmente despercebida aos nossos olhos. Sua vocalização tem por característica  um chamado suave e de baixa frequência.  Lembrando que as aves normalmente tem vários tipos de vocalização: Por ex:  Quando  Chamam,... quando visualizam algum perigo,...acasalamento...canto..etc. Esta ave é super fofa, mas é bem  bem brigona, um exemplo é a foto acima na qual flagrei ele brigando com o seu próprio reflexo na janela.Ele já esta a semanas brigando com o seu reflexo, antes era um bem-te-vi que estava na mesma luta. Acredito que este macho esta defendendo o seu território, já que tem só um casal aqui em casa. Estarei postando um vídeo aqui no blog em ''vídeos e vocalizações you tube'' da vocalização que f

Corujinha - do -mato *** Megascops choliba (Vieillot, 1817)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande RESUMO: A corujinha do mato é uma ave Strigiforme da família Strigidae. Também conhecida como coruja-do-mato ou caburé de orelha (RN/PB). Seu chamado mais característico é um piar acelerado ascendente, emitido com grande frequência no escureçer aproximadamente lá pelas 19:00 20:30horas, mas também é ouvida de madrugada como da 0:00 a 1:00 h. Imitado costuma se aproximar da fonte ou responde com mais intensidade . Menor que a coruja buraqueira, medindo cerca de 20, a 22 cm. Destacam-se em sua silhueta duas ''orelhas'' nos lados da cabeça. Os olhos são amarelados destacados na parte cinza clara contornado com negro externamente.Peitos cinzas com rajados escuros e verticais sobre finas listras transversais. Dorso cinza amarronzado com bolas e rajas escuras. O juvenil sem as ''orelhas'' e os riscos escuros na plumagem como em outras corujas, aparece uma variação natural de exemplares adultos

Mariquita - Setophaga pitiayumi (Vieillot, 1817)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                         RESUMO: A mariquita é uma ave  passeriforme da família Parulidae. Conhecida também como figuinha - baiana(Minas Gerais), vira-folhas (Rio de Janeiro) e mariquita-do-sul. Apresenta um comprimento de 10 centímetros, e um peso de 7,5 gramas. O colorido é espetacular, pelo contraste entre o  amarelo vivo da  região ventral (alaranjado no peito e cinza azulado das costas). A área ao redor dos olhos é negra e chama a atenção, bem como as duas faixas brancas nas asas e o branco nas penas externas da cauda.  Também possui o crisso branco e mandíbula de coloração clara.  No meio das costas apresenta uma área triangular esverdeada, visível sobre excelente visualização e quando a ave apresenta este local em suas cambalhotas na busca de alimentação.  Fonte:  www.wikiaves ESTADO DE CONSERVAÇÃO:   Pouco preocupante

Pomba-do-orvalho *** Patagioenas maculosa (Temminck, 1813)

Clique nas imagens para visualizar em tamanho grande                                                                           RESUMO: A pomba-do-orvalho é uma ave columbiforme da família Columbidae. Apresenta coloração geral cinza escura, íris clara e extremidades das coberteiras superiores das asas brancas. Ocorre do Sul do Peru a Argentina, Uruguai e Brasil. Em território Brasileiro foi registrada apenas no Estado do Rio Grande do Sul (Belton, 1994), e Paraná (Anjos e Graf 1993). Fonte: www.wikiaves.com.br Esta ave tem pouquíssimos registros no wikiaves, e os que tem foram feito aqui no RS. Pelo que percebi elas vem do lado da Argentina, Uruguai.... Espécie nova para mim, nunca havia observado aqui por Canguçu RS.   Apareceram em 27 de julho 2014  no final da colheita do milho.  No início muitas juruti-pupu, pombão-carijó e agora alguma delas. Esta ave encontra-se ainda com poucas informações, mas acredito que seus hábitos alimentares sejam semelhantes ao pombão carijó.

Arapaçu-grande *** Dendrocolaptes platyrostris Spix, 1825

NIKON COOLPIX P 510 42 X RESUMO: O arapaçu-grande é uma ave passeriforme da família Dendrocolaptidae. Também conhecido como arapaçu-de-bico-reto(PE), corre-pau, cotia-de-pau(MG), subideira, trepadeira e tarasca. Fonte: www.wikiaves.com.br Ave muito parecida com o arapaçu-escamado-do-sul ao meu ver, só que um pouco maior. Mede cerca de 26 centímetros, e o arapaçu-escamado-do-sul mede 19 centímetros. Existe uma infinidade deles, como o assobiador, barrado, bico-curvo, bico-comprido, bico-branco, enfim, vários... Ave bem difícil de se registrar devido ao fato de estão sempre em movimento, catando insetos, larvas... nas cascas das árvores. Na foto pode ser observado que como as outras aves (pica-paus) também tem as penas da cauda com pontas na qual cravam na madeira e utilizam como um apoio, (terceira pata). Local das  fotos: Arroio do Moinho 1º Canguçu RS ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Pouco preocupante